sábado, 2 de janeiro de 2010

O Anjo Como Artista De Nossa Transfiguração

- Celtic Angel of Giving -


Na nossa cultura pós-moderna e consumista, qualquer coisa é negociável. Com o abismo escancarado da ânsia espiritual se expandindo, qualquer pequena relíquia do sagrado está à venda. Há um imenso mercado para as coisas do Espírito que possam ser facilmente assimiladas. Atualmente, os anjos estão na moda. Eles são discutidos na linguagem da magia e da aparição. É importante recordar que o sagrado mantém tanto um silêncio quanto uma discrição ao seu redor. A intimidade divina mantém uma reserva e uma timidez severas. A nossa amizade com o nosso anjo é antiga. Ela é íntima de uma forma que diz respeito à própria essência da nossa identidade e do nosso destino. Uma pessoa nunca deveria reduzir o mistério de seu mundo invisível aos tipos corriqueiros de caçoada superficial. A natureza da presença angélica é totalmente incompatível com essa espalhafatosa atenção de néon. Talvez tal conversa oca e indigna afugente os nossos companheiros invisíveis. Ela lhes desrespeita a timidez reverente e eterna.

Quando começamos a despertar para a nossa liberdade inacreditável, os muros das prisões inetriores se tornam, gradativamente, os limiares de nossa vida, o nosso novo local de crescimento. Os velhos muros podem tornar-se os limiares da nova integração que é receptiva às profundidades e orientações do anseio no nosso íntimo. O nosso anjo pode liberar a nossa alma dos falsos espaços estanques onde o medo, a limitação, aa negatividade, a amargura e a decepção nos retêm. O anjo é o artista interior da transfiguração, perito em revelar e estruturar novas configurações do Espírito, onde o anseio e a integração vivem na tensão mais criativa entre si. O nosso anjo pode ver o nosso mundo invisível e sabe onde estivemos aprisionados, onde stão encerradas as partes perdidads e abandonadas da nossa vida. O nosso anjo é o guardião da nossa memória profunda e antiga . Desse modo, alimento, coragem e energia são trazidos da colheita da nossa memória para atender os locais estéreis do nosso momento presente. O nosso anjo atua na nossa imaginação e por seu intermédio. A imaginação divina oferece-nos todas as dádivas de que necessitamos e, particularmente, aquelas graças para as áreas fragmentadas de contradição, sofrimento e dor. Poderíamos pedir ao nosso anjo para buscar alimento a fim de aplacar as ossas atuais fome e sede.

(...)

O nosso anjo é o espírito da renovação e transfiguração. A mitologia celta possuía uma percepção admirável da novidade. Na mentalidade celta não havia nada semelhante a uma prisão. Podíamos observar isso intensamente na maneira como as coisas continuavam a mudar de aspecto e assumir outras formas diferentes. Não havia nenhuma fronteira rígida entre o visível e o invisível. Sem aviso ou sem preparativo, coisas podiam surgir subitamente do ar invisível. Isso ocorre com frequência no épico irlandês Tbe Táin. Uma presença solidifica-se, mostra-se e acha-se ali, proferindo conselhos ou advertências ou profecias. Os celtas habitavam uma paisagem rica e imaginativa. No cerne da espiritualidade celta, está o fogo, a força e a ternura da imaguinação celta. Toda espiritualidade origina-se do caráter e do poder da imaginação. A beleza da espiritualidade celta é a imaginação por trás dela, que não tinha fronteiras. A essência de uma coisas ou pessoa nunca era confinada em nenhuma prisãod e definição ou imagem. A espiritualidade celta é um convite a uma liberdade maravilhosa. A recuperação e o despertar do mundo invisível são tão espontâneos e livres quanto as incomensuráveis riquezas da terra.



Autoria: John O'Donuhue
Livro: Ecos Eternos

Imagem:
www.picasaweb.google.com



7 comentários:

Nilson Barcelli disse...

Querida amiga, ando com imensa falta de tempo. Mas, ainda que um pouco tarde, não poderia deixar de passar por aqui para te desejar um excelente 2010.
Beijos.

Maria José disse...

Minha querida amiga Adélia. Que texto maravilhoso. Acredito piamente nos Anjos Guardiões, que nos orientam na vida, que nos protegem e que nos seguram nas provas difíceis da vida. Esses Anjos, normalmente Espíritos elevados, nossos amigos e companheiros, que riem com os nossos sucessos e choram quando relutamos ir na direção certa. Que nos lembremos sempre deles, com amor e carinho.
Amiga, que possamos renovar nossa amizade em 2010. Sua presença na minha vida é muito importante. Beijos e fique com Deus.

Maria José disse...

Adélia. O Arca está fazendo um ano de aniversário.
Obrigada pela companhia durante o ano de 2009. Que possamos continuar juntos por muito mais tempo, trocando experiências, amizade, sentimentos. Que possamos nos ajudar mutuamente; que possamos crescer como seres humanos e, quem sabe, escalarmos mais um degrau na escala evolutiva. E que Deus nos proteja a todos.
Beijo especial.

Jeanne disse...

Estes textos são muito lindos, confortam bastante, além de indicar novos caminhos...
Beijos

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Jeanne, quanto mais ampliamos nossos horizontes internos, mais serenidade envolve nossa alma. Beijos.

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Maria José Querida, agradeço sua presença constante com seus comentários tão proveitosos. Continuaremos mais um ciclo em 2010. Abençoado seja! Beijos.

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Nilson, grata pela amizade e sua lembrança atenciosa! Um Ano maravilhoso a você! Beijo.