quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

"Ginástica Cerebral: Ferramenta Para Potencializar A Aprendizagem"








"Você se exercita todos os dias e é claro que cuida de sua dieta.
Mas quando foi a última vez que exercitou seu cérebro?

A ginástica cerebral é um método que ajuda a otimizar e ativar a aprendizagem, a memória, a auto-estima e a criatividade. Por meio de movimentos simples e sensíveis, estimula a integração mente-corpo e auxilia-nos a aprender com ritmo e coordenação.

Vivemos num mundo cheio de mudanças rápidas, em que o conhecimento humano tem se desenvolvido no mesmo ritmo. Mesmo que o nosso cérebro tenha múltiplas capacidades, devemos aprender a estimulá-las e a desenvolvê-las. Para tanto, é preciso conhecer novas técnicas de aprendizagem, que podem ser aplicadas em diversas ocasiões.

A aparição de estudos como os de Gardner com as inteligências multiplas, os Goleman com a inteligência emocional, os de Buzan com os mapas mentais, os de Lozanov com a sugestopedia, os da PNL sobre as formas de aprender mostra-nos que devemos adequar e modernizar os métodos de ensino-aprendizagem, dirigindo-os para o equilíbrio dos hemisférios cerebrais. Isso permitirá uma aprendizagem mais efetiva, dinâmica, divertida e interessante. O processo de aprender é encorajado quando se cria ambiente propício, com atmosfera positiva e estimulante. Com o estímulo de novas percepções, ocorre o resgate do ser criança presente em cada um.

Lozanov considera que a capacidade que o ser humano possui de aprender a recordar é praticamente ilimitada, desde que se aproveitem ao máximo os recursos do cérebro. Exercitar é a palavra-chave para o bom aproveitamento. Você se exercita todos os dias e é claro que cuida de sua dieta. Mas quando foi a última vez que exercitou seu cérebro?

Se você é como a maioria das pessoas, talvez ainda não tenha se preocupado, desde que deixou a escola, com importância de fazer exercícios cerebrais. E provavelmente pensou que todas aquelas chaves perdidas e nomes esquecidos decorriam de algo inevitável e irreversível – em muitas situações, certamente até atribuiu os problemas a sintomas do envelhecimento, como observa Lozanov.

Novas pesquisas têm demonstrado que, com um pouco de exercícios e estímulos regulares, é possível manter seu cérebro em forma e flexível. “As células do cérebro ativas produzem mais compostos químicos que ajudam a manter os neurônios vivos", diz Lawrence C. Katz, professor de neurobiologia da Faculdade de Medicina da Universidade de Duke, na Carolina do Norte (EUA).

Mas Katz, que promove um regime chamado de “neuróbica”, não acredita que seja necessário ler um livro por dia ou ser mestre das palavras cruzadas ou do xadrez para desfrutar dos benefícios de exercitar os neurônios e, assim, estabelecer novas conexões cerebrais.

Ter desafios mentais é certamente benéfico para todos, mas esses desafios nãoo considerados as únicas maneiras de fazer o cérebro desdobrar-se e construir novas redes de ligações entre os neurônios.

Alguns exemplos de ginásticas físico-mentais
Tentar escovar os dentes com a mão oposta.
Movimentar o corpo de maneiras diferentes das usuais
Tomar um caminho diferente para o trabalho.
Usar as escadas em lugar de elevador.
Escrever com a mãoo dominante.
Amarrar os sapatos de uma maneira diferente.
Ler um livro, ou fazer as contas de saldo bancário com lápis e papel ao invés de usar calculadora.



Importante é saber que qualquer exercício que você criar ou inventar para dar ao cérebro um descanso da rotina estabelece novos caminhos e circuitos entre as células do cérebro e faz parte da ginástica cerebral.

Cada pessoa deve saber aproveitar a música, os sons da natureza, inclusive os barulhos dos meios de transporte, para se inspirar e inovar.

'A idéia da ginástica para o cérebro é a de tecer uma rede mais densa de conexões e, assim, caso algumas se desfaçam com a idade, você terá outras para utilizar', afirma Katz, co-autor do livro Mantenha seu cérebro vivo.

A intenção da ginástica cerebral não é a de torná-lo capaz de memorizar 30 nomes em 30 segundos, mas, sim, de manter seu cérebro flexível, criativo e original. Infelizmente, pesquisas demonstram que as pessoas estão desperdiçando muita energia mental preciosa, em torno de quase quatro horas por dia, com a televisão – uma das melhores maneiras de deixar o cérebro flácido.

"Seu cérebro foi desenhado para ser estimulado pelos cinco sentidos", diz Katz, que acredita que as interações sociais com as outras pessoas estejam entre as melhores maneiras de exercitar o cérebro. Daí, a importância de criar rede de relações.

Katz observa que é também importante a manutenção de um estilo de vida saudável, para ajudar a minimizar o risco de problemas do cérebro, tais como derrame.

Usar o cérebro de maneira criativa significa ir mais além das fronteiras e dos limites e autobloqueios atuais. A inovação é sempre o que nos move para o caminho de novas idéias – e é esta a proposta dos exercícios da ginástica cerebral, criados e resgatados por Paul Dennison, como ferramenta potencializadora da aprendizagem. A redescoberta do prazer e da alegria de aprender pode estar em perguntas simples, como: o que hoje eu aprendi que ontem não sabia? O que hoje fiz de forma diferente?"




Autoria: Regina Drumond
www.communitate.com.br/criatividade/ginastica-cerebral-ferramenta-para-potencializar-a-aprendizagem


Imagem:
http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutrição/79...


2 comentários:

Jeanne disse...

quem trabalha "formalmente" fica obrigado a rotinas, não tem como...
Aposentada, posso tornar cada dia único, mesmo tendo muitas atividades e compromissos, não preciso mais correr contra o tempo.
Beijos

Prof. Sergio Ricardo disse...

Verdade, tenho praticado algumas dessas dicas, mas preciso ampliar o leque.