sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

"Ausência: Onde O Anseio Ainda Perdura"



"Todos que deixam a nossa vida abrem uma trilha sutil de perda que ainda nos liga àquelas pessoas. Quando pensamos nessas pessoas, sentimos a sua falta e desejamos estar na sua companhia, o nosso coração viaja por essa trilha até onde elas então se acham.
Em toda vida, há áreas inteiras de ausência.

(...)

A ausência é uma das mais solitárias formas de anseio e, quando sentimos a ausência de alguém, ainda estamos integrados com a pessoa de um modo secreto. No mundo da integração, há uma sutil aritmética psíquica.


A Ausência e a Presença são Irmãs

O fluxo e o refluxo da presença é uma corrente que percorre a totalidade da vida. Parece que a ausência é impossível sem a presença. A ausência é irmã da presença. O oposto da presença não é a ausência, mas o vácuo. Onde há ausência, ainda há energia, compromisso e anseio. O vácuo é o espaço neutro e indiferente. É um espaço sem energia. Permanece vazio e inútil, intocado por qualquer murmúrio de anseio ou desejo.

Em contraste, a ausência é vital e ativa. A palavra 'ausência' tem raízes no latim ab-esse, que significa 'estar em outro lugar'. Estar longe de uma pessoa ou de um lugar. Tudo aquilo ou todo aquele que está ausente se afastou do seu lugar apropriado. Entretanto, a sua distância não é indiferente ao lugar ou à pessoa que eles deixaram. Embora então em outro lugar, eles ainda provocam saudade e desejo. A ausência parece conter o eco de uma intimidade rompida".




Autoria: John O'Donohue
Livro: Ecos Eternos


Imagem:
www.overmundo.com.br/banco/ausencia-de-mim

8 comentários:

Maria José disse...

Adélia. Não imagina o que esse texto me fez bem. Estava mesmo precisando ler algo assim. Para aprofundar um pouco mais o sentido da ausência. Ausência e saudade que sinto de minha filha. De pegá-la, ouvir sua voz, sentir seu cheiro, perceber sua movimentação em casa, sentir o seu contato. Como é difícil lidar com isso. É uma luta diária para se chegar ao nível de entender e assimilar interiormente o conteúdo do que você escreveu. Obrigada por compartilhar coisas tão importantes e oportunas a nós todos.
Passando aqui para lhe desejar um ótimo final de semana, agradecer sua presença no Arca e deixar-lhe o meu carinho. Beijos e fique com Deus.

Denise disse...

O texto me remeteu à experiência que vivi na saída de meu primogênito de casa quando foi cuidar da vidinha dele...(penso que muito próximo do que relata Maria José acima)...tempo de adaptação bastante difícil, mas que vai sendo superado quando compreendemos no coração que "aquele vácuo" vai sendo preenchido pela aceitação desse crescimento, cujo amor que sentimos já sabia - e passa a cuidar dessa nossa "falta doída", traduzida por saudade. Penso que todas as situações de ausência sejam semelhantes...e que "o eco de uma intimidade rompida" ganha, oportunamente, a reverberação de todo sentimento contido.

Lindo texto...que traduz tantos anseios vigentes em nós...como a saudade, que quer a presença para morrer no abraço sonhado!

Beijos

Jorge disse...

Anjo Lindo,

Adorei este texto.
Se faz necessário compreender o sentido da ausência.
Confundimos constantemente com vazio, o que foi bem explicado aqui.

Minha doce amiga, desejo um fim de semana de muita alegria!!!
Beijo!!!

Norma Villares disse...

Adélia amiga da alma e do coração,
Eu também estava precisando de ler um texto assim...
Este belíssimo bailado da mutabildade.
Aí vem a lição do caminho do meio, que é tão lindo ensinamento.
Desejo muita luz para sua caminhada.
Beijin hos no coração

Denise B. L. Araujo disse...

Talvez tenha faltado correlacionar com as perdas, momentos que remetem à ausências - do que foi e já não é - ou daquelas tantas desistências, que acabam por trazer a sensação de vazio, perda, falta.

Nossos anseios guardam sonhos por realizar, metas a alcançar, futuro a construir. E no vácuo nada se propaga...

Boa contribuição, Adelia!
Bjos

Jeanne disse...

Tudo a ver com a nostalgia que me invade por estes dias...
obrigada pelas dicas da água, valeu!
tem um selinho pra ti lá no blog.
Beijos

Norma Villares disse...

Vim recebe a energia de Soberana Kwan Yin.
Beijin hos luminosos

Dani Leão disse...

Adélia, gostei demais!...e estou MORTA de saudades!!

Um beijo grande e ótimo feriado!