quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

É Preciso Aprender A Olhar...




"Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.

E eu me sinto completamente feliz.

Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas,
que estão diante de cada janela,
uns dizem que essas coisas não existem,
outros que só existem diante das minhas janelas,
e outros, finalmente,
que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim".




Autoria: Cecília Meireles

Imagem: The Fairy Guardians 1
www.kanwl.com/?cat=6


domingo, 26 de dezembro de 2010

Amor...muitas vezes mal compreendido




- "Em que lugar do Universo está escrito que amar é suportar
o comportamento do outro ou sofrer por causa dele?

- Sim, amor significa deixar o outro ser como ele é, mas também significa valorizar tanto o presente da própria vida a ponto de não nos desrespeitarmos.

- Em que lugar está escrito que não podemos magoar ninguém
pelas decisões que tomamos para nós mesmos?



Se estamos sofrendo com uma situação, movimentar-se e encerrar o sofrimento é um sinal de amor. Torturar-se não é um sinal de amor, e isso também não é recompensado, mesmo que gerações de mães e pais tenham dito o oposto aos seus filhos. Tomar uma decisão a favor de si mesmo e da própria felicidade não é irresponsável.


- Em que lugar está escrito que amar significa assumir a responsabilidade pela felicidade e a satisfação de outra pessoa?

No momento em que você acreditar que é responsável pela felicidade de outra pessoa, você abandona o amor à própria vida. Pode ser que a outra pessoa se sinta feliz ao seu lado, mas há outras fontes de alegrias e se amanhã você não estivesse mais nesse mundo, a vida dela continuaria.


- É verdade que amor significa não ter exigências?

Esse é um dos maiores conflitos em relação à compreensão do que é o amor. Sim, o amor não tem exigências. E ser humano significa ter necessidades, desejos e anseios. Se você amar a pessoa que é, estará permitindo a ela encontrar sua concretização.



Uma pequena digressão:
sem culpa tudo se torna mais fácil".



Autoria: Ruediger Schache
Livro: O Poder Invisível

Imagem: Internet



sábado, 25 de dezembro de 2010

Prece de Natal


"Que neste Natal,
eu possa lembrar dos que vivem em guerra,
e fazer por eles uma prece de paz.

Que eu possa lembrar dos que odeiam,
e fazer por eles uma prece de amor.

Que eu possa perdoar a todos que me magoaram,
e fazer por eles uma prece de perdão.

Que eu lembre dos desesperados,
e faça por eles uma prece de esperança.

Que eu esqueça as tristezas do ano que termina,
e faça uma prece de alegria.

Que eu possa acreditar que o mundo ainda pode ser melhor,
e faça por ele uma prece de fé.

Obrigada Senhor
Por ter alimento,
quando tantos passam o ano com fome.

Por ter saúde,
quando tantos sofrem neste momento.

Por ter um lar,
quando tantos dormem nas ruas.

Por ser feliz,
quando tantos choram na solidão.

Por ter amor,
quantos tantos vivem no ódio.

Pela minha paz,
quando tantos vivem o horror da guerra".


Para todos vocês, Um Natal de :
muita Paz, Amor nos corações, Saúde (Mental, Física e Espiritual),
Serenidade e Harmonia.

Beijos.
Meu Carinho.
Adelia Ester M. Zimeo




Autoria: Desconhecida

Imagem: Internet




domingo, 19 de dezembro de 2010

Se Você Amar Sua Vida...




"Se até agora você não achou fácil amar 'a si mesmo', tente começar com
a proposta de amar 'sua vida'.

- Se você amar sua vida acima de tudo, não fará mais nada que o magoe. Você também não vai deixar que os outros o magoem, independentemente dos motivos. Os outros vão continuar dizendo o que costumam dizer, mas você não vai lutar mais contra isso, pois, sempre que luta, percebe como se perde em um embate que não é o seu. Você escutará o que está sendo dito e verá o que está sendo feito. E perceberá porque as pessoas são assim, pois está compreendendo e sentindo cada vez mais o segredo do magnetismo do coração. Então você dirá a si mesmo o que tem a dizer, e agirá, não numa postura de luta contra alguém ou alguma coisa,
mas por amor a si mesmo.

- Você condenará menos, pois perceberá que isso não lhe faz bem. Quanto mais sentir esse tipo de amor dentro de si, menos seu magnetismo vai irradiar aquilo que seria interessante para agressores, lutadores e déspotas. Você oferece menos área de ataque.

- Se você enxergar e amar sua vida como um presente, seu magnetismo irá irradiar isso. Pessoas doentes ou fracas, que até agora dependiam ou que exigiam muito de você, perceberão que você não faz mais nada para se magoar. Como é uma sensação muito agradável passar um tempo em companhia de uma pessoa que nãos e magoa e ama sua vida acima de tudo, as pessoas ao seu redor vão se lembrar de que podem fazer o mesmo por si mesmas".



Autoria: Ruediger Schache
Livro: O Poder Invisível

Imagem:
www.loghome.com/.../articles/3040


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A Verdade Interior


"A verdade interior aparece quando estamos vazios, sem preconceitos. Ao nos desvincularmos dos julgamentos e das críticas, torna-se possível ver as coisas verdadeiramente reais. Quando um imenso espaço silencioso se abre internamente, podemos apreender a realidade sem a interferência de nossos padrões cristalizados,
das nossas palavras vazias de sentido, do nosso ego.

A verdade não vem nua para o mundo, mas revestida de imagens e símbolos. Para encontrá-la, devemos aprender a ler os símbolos e a penetrar nas imagens. Há que se desbloquear as portas da percepção para que os fatos nos apareçam como realmente são: infinitos. A verdade não está nos livros, nos mestres ou nas escolas. Ela está unicamente no nosso espírito e em nosso coração: 'Conhece-te a ti mesmo'.

Ser verdadeiro é ter pureza de pensamentos, de palavras e de intenções. O homem descobre sua semelhança com o universo, descobre o segredo dos relacionamentos, porque ao se conhecer ele passa a conhecer o 'modelo' de tudo o que existe. Sua influência não é exercida por nenhum tipo de pressão, pois a força da convicção que cerca suas ações falam por si só e convencem aqueles que estão próximos".




Autoria: Fany Zatyrko
Livro: Mandala - A Arte do Conhecimento

Imagem: Hong Mi Lim
healing.about.com/.../Lotus-Posters/Lotus-16.htm

Publicado em:
shekynah.blog.uol.com.br/arch2009-01-25_2009-...


Casamento Entre O Céu E A Terra



"(...) Vamos rir, chorar e aprender.

Aprender especialmente como casar Céu e Terra, vale dizer,
como combinar o cotidiano com o surpreendente,
a imanência opaca dos dias com a transcendência radiosa do espírito,
a vida na plena liberdade com a morte simbolizada como um unir-se com os ancestrais,
a felicidade discreta nesse mundo com a grande promessa na eternidade.

E, ao final, teremos descoberto mil razões para viver mais e melhor, todos juntos, como uma grande família, na mesma Aldeia Comum, generosa e bela, o planeta Terra."





Autoria: Leonardo Boff

Casamento entre o céu e a terra.
http://www.leonardoboff.com/site/lboff.htm

Imagem:
minhamestria.blogspot.com/2010/06/mensagem-de...


sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

O Caminho do Mago



"Existe um Mago dentro de todos nós.
Esse Mago tudo vê e tudo sabe.

O Mago está além dos opostos da luz e das trevas,
do bem e do mal, do prazer e da dor.

Tudo que o Mago vê tem suas raízes no mundo invisível.
A natureza reflete o estado de alma do Mago.

O corpo e a mente podem adormecer, mas o mago está sempre desperto.

O Mago possui o segredo da imortalidade.

A volta da magia só pode acontecer com o retorno da inocência.

A essência do Mago é a transformação.


O Mago observa o mundo ir e vir, mas sua alma habita as esferas de luz.

O cenário muda, o observador permanece o mesmo.
Seu corpo é apenas o lugar que suas memórias chamam de lar.


Quem sou eu?
É a única pergunta que vale a pena ser feita e a única que jamais é respondida.

É seu destino desempenhar uma infinidade de papéis, mas esses papéis não são você.


O espírito não é localizado,
mas deixa atrás de si uma impressão digital que chamamos de corpo.

Um Mago não acredita ser um evento localizado que sonha com um mundo maior. Um Mago é um mundo que sonha com eventos localizados.


Os Magos não acreditam na morte. À luz da consciência, tudo está vivo!

Não existem inícios ou fins.
Para o Mago, eles não passam de elaborações mentais.

Para viver mais plenamente, é preciso morrer para o passado.
As moléculas se dissolvem e se extinguem, mas a consciência sobrevive à morte da matéria na qual ela viaja.
A consciência do Mago é um campo que existe em toda a parte.
As correntes de conhecimento contidas no campo são eternas e circulam eternamente.

Séculos de conhecimento estão comprimidos em momentos reveladores. Vivemos como ondulações de energia no vasto oceano de energia.


Quando o ego é posto de lado, temos acesso à totalidade da memória.
Quando as portas da percepção forem purificadas, você começará a enxergar o mundo invisível : o mundo do Mago.

Existe dentro de você um manancial de vida onde você pode
purificar-se e transformar-se.

Purificar-se consiste em livrar-se das toxinas da sua vida: emoções tóxicas, pensamentos tóxicos e relacionamentos tóxicos.


Todos os corpos vivos, físicos e sutis, são feixes de energia que
podem ser diretamente percebidos.


O Poder é uma faca de dois gumes. O poder do ego busca controlar e dominar.
O poder do Mago é o poder do amor.
A sede do poder é o eu interior.

O ego nos segue como uma sombra escura. Seu poder é inebriante e sedutor,
porém essencialmente destrutivo.


O eterno conflito de poder termina na unidade.


O Mago vive num estado de conhecimento.
Esse conhecimento dirige sua própria realização.

O campo da consciência se organiza ao redor das nossas intenções.
O conhecimento e a intenção são forças.

O que você pretende muda o campo a seu favor.
As intenções comprimidas em palavras envolvem o poder mágico.


O Mago não tenta solucionar o mistério da vida.
Ele está aqui para vivê-lo.


Todos possuímos um eu-sombra que é a parte da nossa realidade total.

A sombra não está presente para magoá-lo e
sim para mostrar-lhe onde você está incompleto.

Quando a sombra é abraçada, ela pode ser curada.
Quando ela é curada, ela se transforma em amor.

Quando você puder viver com todas as suas qualidades opostas,
você estará vivendo seu eu total como o Mago.


O Mago é o mestre da alquimia.
A alquimia é a transformação. É através da alquimia que você começa a busca da perfeição. Você é o mundo. Quando você se transforma, o mundo em que você vive também será transformado.


As metas da busca – o heroísmo, a esperança, a graça e o amor –
são a herança do intemporal.


Para invocar a ajuda do Mago, você precisa ser forte na verdade,
sem ser teimoso no julgamento.


A sabedoria está viva e é, portanto, sempre imprevisível.
A ordem é outra face do caos, o caos é outra face da ordem.

A incerteza que você sente interiormente é a porta de entrada para a sabedoria.
A insegurança sempre estará com o que busca :
ele continua a tropeçar mas nunca tomba.


A ordem humana é feita de regras.
A ordem do Mago não tem regras :
ela flui com a natureza da vida.


A realidade da sua experiência é uma imagem especular das suas expectativas.

Se você projetar as mesmas imagens todos os dias, sua realidade será a mesma todos os dias. Quando a atenção é perfeita, ela cria ordem e clareza a partir do caos e da confusão.


Os Magos não lamentam a perda, porque a única coisa que pode ser perdida é o irreal.

Mesmo que você perca tudo, o real permanecerá.

No cascalho da devastação e do desastre estão enterrados tesouros ocultos.

Quando você examinar as cinzas, examine bem!


Na medida em que você conhece o amor, você se torna o amor. O amor é mais do que uma emoção. Ele é uma força da natureza e, portanto, tem que conter a verdade.
Quando você pronuncia a palavra amor, você pode captar o sentimento, mas a essência não pode ser proferida.

O amor mais puro situa-se onde é menos esperado : no desapego.

Além de andar, sonhar e dormir, existem infinitas esferas de consciência.


O Mago existe simultaneamente em todas as épocas.
O Mago enxerga infinitas versões de cada evento.


As linhas retas do tempo são na verdade fios de uma teia
que se estende em direção ao infinito.


Os buscadores nunca se perdem, porque o espírito está sempre acenando para eles. Os buscadores recebem continuamente pistas do mundo do espírito. As pessoas comuns chamam essas pistas de coincidências. Não existem coincidências para o Mago. Cada evento existe para expor outra camada da alma.


O espírito deseja conhecê-lo. Para aceitar esse convite, você precisa deixar cair suas defesas. Comece a procurar em seu coração.
A gruta do coração é o lar da verdade.
A imortalidade pode ser vivida em meio à mortalidade. O tempo e o intemporal não são opostos. Por abarcar tudo, o intemporal não tem opostos.


No nível do ego, nos esforçamos para resolver nossos problemas.
O espírito percebe que o problema é o esforço.


O Mago tem consciência da batalha entre o ego e o espírito, mas compreende que ambos são imortais e não podem morrer.
Cada aspecto seu é imortal, até mesmo as partes que você julga com mais severidade.

Os Magos jamais condenam o desejo.
Foi seguindo seus desejos que eles se tornaram Magos.
Todo desejo é criado por algum desejo passado.

A cadeia do desejo nunca acaba. Ela é a própria vida.

Não considere nenhum desejo inútil ou errado : um dia cada um deles será realizado.
Os desejos são sementes que esperam o momento propício para germinar.

A partir de uma única semente de desejo, florestas inteiras se desenvolvem.

Acalente cada desejo do seu coração, por mais trivial que ele possa parecer.


Um dia esses desejos triviais o conduzirão a Deus.

O maior bem que você pode fazer ao mundo é tornar-se um Mago".




Autoria: Deepak Chopra
Livro: O Caminho do Mago

Texto e Imagem extraídos de:
http://holosgaia.blogspot.com/2009/11



sábado, 27 de novembro de 2010

A Vida Merece Ser Vivida...



(...) A manifestação dos seus sonhos começa com a difícil tarefa de descobrir o que eles verdadeiramente são.

Enquanto somos crianças, seguimos as pegadas de nossos pais e professores. Aceitamos sua orientação e seu discernimento para nos guiar nas tarefas escolares; eles influenciam nossa escolha com relação a esportes passa-tempos e outras atividades que ocupam nosso tempo livre.

Quando ficamos adultos, escolhemos a carreira e os colegas baseados nos ideais estabelecidos pelos mais velhos.


Mas em que ponto paramos de ouvir essas vozes externas e entramos em sintonia com nossos guias interiores? Em que momento decidimos que talvez o caminho que estamos trilhando não seja, de fato, o nosso?

Seria essa a razão que nos leva a sentir que falta algo na nossa vida?
Esse é o tipo de pergunta que mais tememos, porque exige de nós uma segunda avaliação do que temos pensado até agora.

Alguma vez você já questionou sua crença em Deus? Para alguns, questionar a doutrina sagrada é um pecado mortal; mas, se não desafiarmos nossas crenças mais básicas, não cresceremos espiritualmente.

Nossa vida correrá simplesmente ao longo das linhas estabelecidas pelos nossos pais, e não passaremos jamais dos limites que eles estabeleceram para nós quando éramos crianças.
Este capítulo trata da partida para um território desconhecido. Ele vai guiá-lo a uma vida de grandeza e serenidade.

Em vez de dizer: “Não posso fazer isso”, você precisa perguntar: “Por que eu não faria isso? Estou com medo de quê?” Essas perguntas desafiam as amarras que o mantêm preso. O objetivo desse capítulo é fazer você descobrir qual é a finalidade da sua vida.

Indagar-se se você está no caminho certo parece fácil. A parte difícil é ouvir a resposta do coração. Sua mente terá uma resposta, mas seu coração talvez tenha outra.

O medo pode incitá-lo a manter o rumo atual, enquanto o amor pode instigá-lo a mudar de rumo. Você precisa acalmar a mente para ouvir qual é o chamado mais alto e abrir o coração para descobrir onde mora o amor.

Se decidir seguir suas paixões e seus desejos, precisa ser forte o suficiente para ouvir as respostas da sua alma. Se você se mantiver na superfície, o cenário parecerá sempre o mesmo.

Aventure-se em águas mais profundas e um mundo mágico estará à sua espera.
Mas temos medo de afundar, de errar, de falhar.

Seus desejos são suficientemente importantes para fazer você enfrentar seus medos? Você os quer realizar de verdade? A escolha é sua: você pode mudar sua atitude de resignação para uma de comprometimento; passar de uma condição de medo para um estado amoroso.

O primeiro passo é questionar a si mesmo, para transformar radicalmente suas certezas em perguntas.

Troque: “Sou um fracassado” por “Eu poderia ser um sucesso?” Mude: “Estou aborrecido com minha vida” para “Eu seria capaz de ser animado?” Transforme: “Minha vida não faz diferença” em “Eu faria alguma diferença para o mundo?”

A necessidade de ser corretos de nos sentirmos seguros nos impede de assumir um compromisso com a vida. Ficamos inseguros ao questionar nossos motivos.

O que você prefere: estar certo a respeito de ser um fraco ou estar errado quanto à sua capacidade de ser grande? Você escolheria estar no controle de uma pequena soma de dinheiro ou inseguro em relação a como equilibrar uma conta bancária polpuda? Entre permanecer num emprego de que você não gosta e se arriscar criando um empreendimento próprio,
qual seria sua escolha?
Se soubesse que só tem um ano de vida, você continuaria a fazer o que está fazendo agora?
Você faria as mesmas escolhas para a sua vida?


Feche os olhos e focalize mentalmente um lugar dentro de você, bem no fundo, onde se sinta a salvo e à vontade. Pergunte a você mesmo o que gostaria de estar fazendo nesse exato momento da sua vida. Por que não está se dedicando à busca desse sonho? Do que você tem medo?Faça a você mesmo a pergunta que lhe fiz: o que você faria se tivesse apenas um ano de vida? O que você mudaria?

Mantendo as respostas na quietude do seu coração, comprometa-se a mudar sua vida, de forma a poder manifestar seus sonhos.

Comprometa-se a sempre prestar atenção à sua própria verdade e a dar ouvidos a ela.

Proponha-se a deixar o Universo guiá-lo em direção àquilo que o seu coração deseja.

Só esses compromissos já mudarão sua vida.

Ao fazer isso, você estará dizendo a você e ao mundo todo:
“Mereço ter o que quero e farei o que for necessário para realizar meu desejo”.

W. H. Murray escreveu:
Até que uma pessoa se comprometa, há a vacilação, a oportunidade de recuar, a ineficiência de sempre. No que diz respeito a todos os atos de iniciativa (e criação), só existe uma verdade elementar: o fato de não sabermos o que mata inúmeras idéias e esplêndidos planos e que, no instante em que alguém se compromete definitivamente, a Providência muda também. Então, para ajudar essa pessoa, acontecem coisas que de
outra forma jamais ocorreriam. Uma sucessão de acontecimentos emana da decisão tomada, gerando toda espécie de incidentes imprevistos, encontros e apoio material que favorecem essa pessoa e que ninguém jamais sonharia que se apresentariam dessa forma. Dê início a qualquer coisa que você possa fazer ou sonhar. A ousadia tem talento, poder e magia.


Sem comprometimento, o Universo não pode produzir os acontecimentos de que precisamos para realizar nossos desejos.

Infelizmente, a maioria das pessoas não se compromete com aquilo que quer. À noite, na cama, rezamos para ter uma vida melhor, um corpo melhor, um emprego melhor, mas nada muda.

Isso acontece porque mentimos para nós mesmos. Em geral, o que pedimos em nossas orações e aquilo com que estamos comprometidos são coisas totalmente diferentes. Rezamos para ter uma vida mais saudável, mas somos sedentários. Pedimos a Deus um relacionamento gratificante, mas ficamos sentados em casa. Estamos mais à vontade com o status quo.

Porém, quando percebemos que ninguém está vindo para nos salvar ou fazer algo por nós e que nossas velhas feridas continuam lá, quer gostemos delas ou não, então nos damos conta de que somos nós que temos de exercer o nosso potencial.




Autoria: Debbie Ford
Livro: O Lado Sombrio dos Buscadores da Luz

Imagem: Internet



sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Floreça e Refloresça


LIBERTE-SE.

Você não veio ao mundo para ser "esmagado" por imposições,
mas para cumprir o propósito do seu Espírito.
Sempre haverá pessoas e circunstâncias que,
como pedras, poderão atrasar sua caminhada.
Continue caminhando.
Diante da tirania lembre-se que o tirano perde
mais do que o tiranizado.
Ele não pode escapar de si próprio,
mas você pode escapar dele.

LIBERTE-SE.


APROVE-SE.

Não há sob o céu ninguém que nunca tenha
sido desaprovado por outrem.
Algumas ou muitas vezes surgirá alguém para julgá-lo
e condená-lo, para abalar a sua auto imagem.
Não se abale ... prossiga sob o céu que o protege.
Diante da desaprovação lembre-se que Deus
não erra e você é uma criação dEle.

APROVE-SE.

ACEITE-SE.

Nem sempre será fácil encontrar alguém que o ame
incondicionalmente e sem restrições à
sua maneira muito ÚNICA de ser.
Só você conhece suas razões para ser como é.
Os perfeccionistas têm olhos só para a "imperfeição".
É aí que eles entram em permanentes estados de frustração.

ACEITE-SE.


VALORIZE-SE.

Em seu caminho, vez ou outra, surgirão alguns
querendo pô-lo de joelhos diante deles.
É-lhes necessário compensar sensações
de pequenez e desvalia.
Prossiga em pé!

VALORIZE-SE.

AME-SE.

Você veio ao mundo sozinho e, sozinho, o deixará.
Nunca lhe será possível ser apreciado por todos,
assim como não é possível você apreciar a todos.
Você é a ÚNICA pessoa presente em sua Vida
durante as 24 horas de cada dia.
Com essa pessoa você conviverá por toda a Eternidade.
Não queira um dia deixar esta existência
levando consigo um inimigo.

AME-SE !


by: Silvia Schmidt

*Humancat*

http://www.bethynha.com.br/floresca.htm



quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Respirando com Almas Livres - II



"Você me disse que alguém partiu seu coração.
No entanto, eu vi brilho no seu olhar...
E eu só vejo isso nos olhos de quem ama.
E sei, também, que o Amor não vai e nem vem.
É um estado de consciência.
E ninguém pode tirar isso de você.
Porque, nem quem lhe deu a Vida é capaz disso.
Sim, nem mesmo Deus pode apagar sua Luz.
Aliás, Ele a fez assim: imortal, por excelência.
E isso é um presente de Amor incondicional.
Ah, querida, enxugue essas lágrimas.
Porque a Luz mais linda de todas está em seu coração.
E, se quem partiu não era capaz de ver isso, então, deixe ir...
E não guarde mágoa alguma, pois isso não é do seu jeito.
Você é muito mais do que seus pensamentos e emoções.
Você é o brilho do Eterno na carne... A Luz dentro da argila.
E isso não tem a ver com você estar com alguém, ou não.
Nem tem nada a ver com a idade ou a forma.
Ah, ninguém pode partir o coração de ninguém!
Por favor, levante os olhos e veja o sol surgindo...
E medite naquele Poder que criou estrelas como essa.
Porque, Ele é o mesmo que habita em seu coração.

P.S.:
Querida, eu fui acordado para escrever essas linhas.
E eu nem sei quem você é – e há tantas pessoas por aí, nas mesmas condições.
E eu despertei lembrando-me daquelas Grandes Almas Livres...*
Aquelas Almas, tranquilas e magnânimas, que, como a primavera, fazem bem a todos.
E que, secretamente, velam pela evolução de todos os seres.
Então, escrevi pensando em você, mesmo sem conhecê-la.
E, por entre as batidas do meu coração, e nesses escritos, está o olhar d’Elas.
E é isso que lhe ofereço, no início de mais esse dia: o olhar das Almas Livres.
E um dos seus ensinamentos, diz o seguinte:
“Há uma Luz que brilha mais do que bilhões de sóis juntos.
É a essência da alma.
Essa é a Luz que mora no coração.”
Ah, querida, seja lá quem você for, receba um grande abraço.
Porque, alguém “lá em cima” está velando por você na senda da vida...
Tanto que eu fui acordado só para escrever tudo isso para você.
E, agora, eu também vou ver o novo dia que está raiando...
E meditar naquele Poder Maior que criou tantas estrelas.
O mesmo que fez o Amor... Em você, em todos, e também em mim.
Por favor, seja feliz**.

Paz e Luz".




Autoria:
- Wagner Borges –
São Paulo, 19 de agosto de 2010.


http://www.ippb.org.br


Imagem: Butterflies
www.artuproar.com




sábado, 20 de novembro de 2010

Indiferença



"A impressão mais cruel que pode ser feita numa criancinha é a indiferença.

Ignorar a necessidade de amor de uma criança dá a entender a seu coração que suas necessidades não são essenciais.

Ao crescer, essa criança acha muito difícil expressar o verdadeiro amor.

Em vez de um cálido fluxo de sentimentos, ela vai sentir uma emoção muito mais fria e moderada, que facilmente pisca e falha.

A indiferença possui um longo legado".




Autoria: Deepak Chopra

Imagem:
ncego.blogspot.com/2009_11_01_archive.html


domingo, 14 de novembro de 2010

A Força do Perdão



"Observe que o perdão não nos pede que concordemos com nada, que nos desculpemos ou que toleremos maus comportamentos. Na realidade, o perdão nos dá permissão para irmos além dos maus comportamentos, aprendermos as lições e extrairmos sabedoria dessas experiências.
Perdoar os outros não significa que nos tornaremos fracotes, ingênuos ou alvos fáceis dos predadores deste mundo. Não significa que não tomaremos providências para nos proteger de maneiras saudáveis ou para impor limites bem claros àqueles que continuam a tentar nos vitimar. Muito contrário, o perdão nos faz abandonar o papel de vítimas e tomar posse do nosso poder, para ver as situações e circunstâncias claramente e tomar as providências necessárias para garantir que não cometemos os mesmos erros outra vez.

A voz do perdão diz, 'É hora de seguir em frente!', 'Eu aceito o passado' e 'essa experiência me ajudou a me tornar uma pessoa mais sábia e cheia de compaixão'. O perdão nos estimula a deixar de lado a necessidade que sentíamos de que o passado fosse diferente do que foi. Ao mesmo tempo ele nos convida a abrir mão das mágoas que temos de nós mesmos e do mundo, para que nãos ejamos mais prisioneiros da força gravitacional que nos puxa para o passado. Não podemos voar alto na vida, expressamo-nos e compartilhar os nossos dons mais preciosos enquanto estivermos carregando o fardo da dor e do sofrimento causados por anos de ressentimento, raiva e condenações. Por meio do perdão, somos capazes de olhar o passado nos olhos e, com compaixão, deixá-lo para trás, livres para poder seguir em frente.

O perdão acontece quando entendemos que tudo o que nos acontece teve uma razão de ser. No momento em que conseguimos ver as bençãos do que recebemos, a sabedoria que obtivemos e a experiência que adquirimos com as circunstãncias dolorosas ou traumáticas, perdoamos naturalmente. Então a dor no nosso coração é transformada em gratidão, e a confusão em nossa mente é substituída por lucidez. O perdão aos outros é uma prova de que nos amamos o suficiente para sermos capazes de dizer adeus, de seguir em frente e deixar o passado para trás. Quando reunimos coragem para cortar as amarras que nos ligam negativamente aos outros, que acabam com a nossa autoestima e roubam de nós o nosso poder, passamos a ver que somos tão grandes quanto os nossos ressentimentos e mais poderosos que as nossas dores emocionais.

Recebemos muitas dádivas quando optamos pelo ato corajoso e ousado de perdão. Acima de tudo, somos livres. Como diz Um Curso em Milagres, um dos textos mais espirituais jamais escritos, 'O mais santo de todos os lugares da Terra é onde um antigo ódio se torna um amor presente'. O perdão nos desafia a encontrar o outro no meio da lama, a sabedoria em nossas feridas e a possibilidade oculta na nossa dor".



Autoria: Debbie Ford
Livro: Como entender o Efeito Sombra em Sua Vida

Imagem:
secret.extrarisk.com/learn-to-forgive.html


quinta-feira, 11 de novembro de 2010

A Inteligência é Flexível



"Quanto mais endurecido e inflexível, mais fácil de se quebrar diante de fortes impactos. Esta teoria –fisicamente constatável– não vale apenas para os objetos, mas, sobretudo e cada dia mais, para o comportamento humano.

Num mundo onde os produtos são perecíveis e os desejos são fugazes, a flexibilidade destaca-se como meio de sobrevivência. É a chave para a resiliência e também mote para o sucesso, tanto na vida pessoal quanto na profissional.

Fácil assimilar quando entendemos que não dá para crescer na rigidez. O crescimento, por si só, é maleável, moldável e adaptável às novas medidas e aos novos formatos. Sendo assim, inteligente é quem aprende a metamorfosear.

É notório que no mundo corporativo, a busca é cada vez mais enfática por profissionais capazes não de aceitar as diferenças inerentes a uma equipe ou um departamento, mas –acima de tudo– de celebrar essas diferenças.

Já não basta evitar os conflitos. É preciso enxergar neles uma oportunidade de promover mudanças necessárias, evoluir e se tornar melhor justamente por causa do que lhe é adverso.

Há alguns anos, desenvolvendo pesquisas sobre o que chamo de Inteligência Afetiva, constatei como é latente a falta de flexibilidade nos dias de hoje. Isso me levou a debruçar sobre uma questão fundamental e esquecida na atualidade: a gentileza. Não descobri nenhum segredo; a evidência já estava aí, porém, adormecida: pessoas gentis são flexíveis... e poderosas! Este trabalho resultou no livro O Poder da Gentileza.

É incrível como ainda há quem aposte que investir nas relações humanas não é o comportamento mais eficaz para os que ambicionam altos cargos ou grandes fortunas. Estes, certamente, desconhecem o poder da gentileza.

O Movimento pela melhoria das relações interpessoais e da qualidade de vida através da gentileza (World Kindness Movement) –cujo representante oficial do Brasil é a Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV)– declara que pessoas gentis são mais valorizadas no mercado profissional, já que a qualidade das relações, a integração entre os funcionários e as atitudes de gentileza são fatores que influenciam nos resultados finais e no aumento da produtividade da empresa.

A gentileza e, por conseqüência, a flexibilidade e a tolerância, têm ainda influência direta sobre nossa saúde mental, emocional e física. A falta desses atributos na vida diária tem causado prejuízos incalculáveis a todos. A Organização Mundial da Saúde estima, por exemplo, que em 2020 a depressão será a segunda causa de improdutividade das pessoas, seguida apenas das doenças cardiovasculares.

Qual é a razão para tamanha insatisfação? Estou certa de que, em última instância, não se trata de aumento de salário ou posição hierárquica. Trata-se da falta de reconhecimento pelo humano que há em cada um; da falta de qualidade na troca entre as pessoas; do distanciamento, da falta de intimidade e de confiança, da falta de afeto e disponibilidade, da inflexibilidade para com as próprias frustrações. Trata-se da falta de gentileza! É disso que se trata, pode apostar!

Portanto, embora as habilidades técnicas sejam imprescindíveis para as empresas, elas sabem que podem treinar um profissional para que se torne habilitado tecnicamente, assim como sabe que para ser agradável, simpático, flexível e gentil, é preciso que haja uma decisão pessoal.

As empresas podem sim motivar e incentivar seus colaboradores para a mudança de comportamento, mas ser gentil é essencialmente uma escolha do indivíduo. Tem a ver com as crenças e os valores que ele alimenta diariamente. Ou seja, a gentileza é um exercício diário!


7 Condutas Gentis e Tolerantes no Ambiente de Trabalho:

1) Aprenda a escutar.
Ouvir é muito importante para solucionar qualquer desavença ou problema.


2) Evite julgamentos e ações precipitadas.
Quando estiver nervoso, deixe para conversar mais tarde.


3) Peça desculpas.
Isso pode evitar conflitos maiores e salvar relacionamentos.


4) Valorize o que a situação e o outro têm de bom.
Perceba que este hábito pode promover verdadeiros milagres.


5) Seja solidário e companheiro.
Demonstre interesse pelo outro, por seus sentimentos e por sua realidade de vida.


6) Analise a situação.
Alcançar soluções pacíficas pode depender da compreensão da raiz do problema.


7) Faça justiça.
Esforce-se para compreender o outro e não para ganhar,
como se eventuais discussões fossem jogos ou guerra.




Autoria: Rosana Braga
www.somostodosum.ig.com.br/rosanabraga


Imagem:
http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=08679



domingo, 7 de novembro de 2010

Ciclo da Vida (Tradução: Circle of Life)



Desde o dia que chegamos ao planeta
E abrimos nossos olhos para o sol
Há mais a ser visto além do que já vimos
E mais a fazer do que já foi feito

Alguns dizem "devore ou seja devorado"
Outros dizem "viva e deixe viver"
Mas todos concordam juntos
Você nunca deve tirar mais do que dá

No ciclo da vida
Esta é a roda da fortuna
Este é o salto da fé
Esta é a faixa de esperança
Até encontrarmos nosso lugar
Nos caminhos que se desenrolam
No ciclo, no ciclo da vida

Alguns de nós caem pela estrada
Enquanto outros alcançam as estrelas
Alguns de nós navegam acima dos problemas
Enquanto outros tem que viver com as cicatrizes

Há muito para se conseguir aqui
Mais para se encontrar do que o que já foi encontrado
Mas o sol se move alto no céu azul safira
E mantêm-se, ora grande, ora pequeno, neste ciclo sem fim

No ciclo da vida
Esta é a roda da fortuna
Este é o salto da fé
Esta é a faixa de esperança
Até encontrarmos nosso lugar
Nos caminhos que se desenrolam
Neste ciclo, no ciclo da vida.




Composição: Elton John e Tim Rice

Imagem: Internet


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Co-dependência



Quando uma pessoa independente suporta e incentiva a dependência do outro.


"Muitas vezes, pensamos que somos a melhor pessoa do mundo porque agradamos aos outros e não a nós mesmos.
Interrompemos nossas atividades para atender ao chamado alheio.
Fazemos sempre mais do que os outros nos pedem, e, habilidosamente, antecipamos seus desejos e abrimos mão dos nossos com extrema facilidade.
Depois, ficamos chateados quando os outros não fazem o mesmo por nós!

Atenção, se você se identificou com esta curta situação, leia com atenção este texto, pois você pode estar sendo um co-dependente: alguém que acredita ser responsável pela felicidade alheia, mas que pouco cuida da sua...

...agora, iremos pensar sobre quando a dependência se torna um fato negativo, isto é, quando uma pessoa independente suporta e incentiva a dependência do outro.

Não é simples perceber que estamos fazendo este papel de salvador, pois os co-dependentes têm muita dificuldade de conhecer seus sentimentos: estão habituados a se sacrificar pelos outros e nem se dão conta de que, em vez de controlar a sua própria vida, dedicam todo o seu tempo a controlar a vida dos outros.

Como co-dependentes, dizemos sim, mas na realidade queremos dizer não; fazemos coisas que não queremos realmente fazer, ou fazemos o que cabia aos outros fazer. Uma atitude co-dependente pode parecer positiva, paciente e generosa, pois está baseada na melhor das intenções, mas, na realidade, é inadequada, exagerada e intrusa. A questão é que os co-dependentes estão viciados na vida alheia e não sabem mais viver a sua própria. Adoram dar, mas detestam receber, seja atenção, carinho ou ajuda.

Desta forma, quanto mais se dedicam aos outros, menos autoconfiança possuem. Afinal, desconhecem os seus próprios limites e necessidades!

A co-dependência se inicia quando uma pessoa, numa relação comprometida com um dependente, tenta controlar seu comportamento na esperança de ajudá-lo.

Como conseqüência dessa busca mal sucedida de controle das atitudes do próximo, a pessoa acaba perdendo o domínio sobre seu próprio comportamento e vida.

Em outras palavras, se ao nos dedicarmos aos outros estivermos nos abandonando, mais à frente teremos de nos confrontar com as conseqüências de nossa atitude ignorante.

Reconhecer nossos limites e necessidades é tão saudável quanto a motivação de querer superá-los.

Sentir a dor do outro não quer dizer ter que repará-la.
Este é nosso grande desafio: sentir a dor com o intuito simplesmente de nos aproximarmos dela, em vez de querer transformá-la de modo imediato.

É preciso deixar claro que ter empatia não tem nada a ver com a necessidade compulsiva de realizar os desejos alheios, própria dos relacionamentos co-dependentes.

Stephen Levine, em Acolhendo a pessoa amada (Ed. Mandarin), nos dá uma boa dica para identificarmos se nossos relacionamentos são saudáveis ou não: Na co-dependência, as balanças sempre pendem para um lado. É freqüente que um tenha de estar ‘por baixo’ para que o outro se sinta ‘por cima’. Não há equilíbrio, somente a temida gravidade.

Em um relacionamento equilibrado não há um ‘outro dominante’; os papéis estão em constante mudança. Quem tiver o apoio mais estável sustentará a escalada naquele dia.A troca equilibrada entre ceder e requisitar, dar e receber afeto e atenção nos aproxima de modo saudável das pessoas que nos cercam sem corrermos o risco de criar vínculos destrutivos.

Assim como esclarece John Welwood, Em busca de uma psicologia do despertar (Ed.Rocco): O paradoxo do relacionamento é que ele nos obriga a sermos nós mesmos, expressando sem hesitação e assumindo uma posição. Ao mesmo tempo, exige que abandonemos todas as posições fixas, bem como nosso apego a elas. O desapego em um relacionamento não significa que não tenhamos necessidades ou que não prestemos atenção a elas. Se ignoramos ou negamos nossas necessidades, cortamos uma parte importante de nós mesmos e teremos menos a oferecer ao parceiro. O desapego em seu melhor sentido significa não se identificar com as carências nem com as preferências e aversões. Reconhecemos sua existência, mas permanecemos em contato com nosso eu maior, onde as necessidades não nos dominam. A partir desta perspectiva, podemos escolher afirmar nosso desejo ou abandoná-lo, de acordo com as necessidades do momento.

A empatia começa com a capacidade de estarmos bem conosco mesmos, de reconhecermos o que não gostamos em nós e admirarmos nossas qualidades. Quanto melhor tivermos sido compreendidos em nossas necessidades e sentimentos quando éramos crianças, melhor saberemos reconhecê-las quando adultos. Entrar em contato com os próprios sentimentos é a base para desenvolver a empatia. Como alguém que desconhece suas próprias necessidades poderá entender as necessidades alheias?

Se você quiser ler mais sobre a co-dependência, leia o livro: Co-dependência nunca mais de Melody Beattie (Ed. Record).

Abaixo, seguem alguns itens que, segundo a autora, os co-dependentes adoram fazer:
- Considerar-se e sentir-se responsável por outra(s) pessoas(s)
– pelos sentimentos, pensamentos, ações, escolhas, desejos, necessidades, bem
-estar, falta de bem-estar e até pelo destino dessa(s) pessoa(s).
- Sentir ansiedade, pena e culpa quando a outra pessoa tem um problema.
- Sentir-se compelido – quase forçado – a ajudar aquela pessoa a resolver o problema, seja dando conselhos que não foram pedidos, oferecendo uma série de sugestões ou equilibrando emoções.
- Ter raiva quando sua ajuda não é eficiente.
- Comprometer-se demais.
- Culpar outras pessoas pela situação em que ele mesmo está.
- Dizer que outras pessoas fazem com que se sinta da maneira que se sente.
- Achar que a outra pessoa o está levando à loucura.
- Sentir raiva, sentir-se vítima, achar que está sendo usado e que não senta sendo apreciado.
- Achar que não é bom o bastante.
- Contentar-se apenas em ser necessário a outros".




Autoria: Bel Cesar
www.somostodosum/belcesar
www.vidadeclaraluz.com.br

Imagem:
www.livrariaresposta.com.br/v2/produto.php?id...



Por Que Aceitamos Que Alguém Nos Trate Mal?



Certa vez, disse a Lama Gangchen Rinpoche:
"Desta vez quero olhar para a negatividade de frente. Não vou negá-la".

Ele, então, me respondeu:
"Olhar é bom, mas não a toque. É como quando você assiste ao noticiário na TV. Você vê a negatividade, mas não deixa que ela entre na sua casa. Você pode encarar a negatividade de frente, mas não deixe que ela entre na sua mente".

A maior parte das mensagens de nossa sociedade contém idéias destrutivas e negativas. Basta ligar a TV em qualquer noticiário para nos lembrarmos do quanto o mundo é perigoso.

Na tentativa de tentarmos nos proteger das ameaças cotidianas, vamos nos tornando acuados ou até mesmo igualmente perversos ao ambiente hostil que frequentamos.

Manter a mente limpa é um desafio que requer reflexão constante para não deixar as informações ou pontos de vista negativos de outras pessoas influenciarem nossa mente. Lama

Gangchen Rinpoche nos alerta:
"Não devemos seguir professores negativos ou comprar informações negativas no supermercado dos pensamentos".

Em outras palavras, Marie France Hirigoyen, autora do livro "Assédio Moral" (Ed. Bertrand Brasil) nos diria para reconhecermos as características dos comportamentos perversos para não nos deixar levar por eles.
No entanto, não é tão simples nem fácil reconhecer um comportamento perverso.

Marie France esclarece:
"Pequenos atos perversos são tão corriqueiros que parecem normais. Começam com uma simples falta de respeito, uma mentira ou uma manipulação. Não achamos isso insuportável, a menos que sejamos diretamente atingidos. Se o grupo social em que tais condutas aparecem não se manifesta, elas se transformam progressivamente em condutas perversas ostensivas, que têm consequências graves sobre a saúde psicológica das vítimas. Não tendo certeza de serem compreendidas, estas se calam e sofrem em silêncio".

Uma vez em que aprendemos a olhar os maus tratos como algo aparentemente normal, e, portanto, teoricamente aceitável, nem pensamos que seja possível e saudável nos desvencilharmos destes maus tratos!

Afinal, por que aceitamos que alguém nos trate mal?
Porque duvidamos de nossa própria sanidade mental. Neste sentido, saber de si, quer dizer, conhecer nossos potenciais, recursos e limitações é a base de nossa segurança interna. Todos nós já sabemos que vivemos num mundo hostil, mas é preciso saber como não cair nas armadilhas da hostilidade alheia. Precisamos nos encorajar o tempo todo a não seguir a negatividade, especialmente se estivermos cercados dela.

Assim como escreve Lama Gangchen Rinpoche, em seu livro
"Ngelso Autocura Tântrica III" (Ed Gaia):
"a única mensagem que recebemos dos outros é:
'Não me incomode'. Por isso, precisamos ter um forte refúgio interior, impenetrável às influências alheias".

Para melhor responder à questão "por que aceitamos que alguém nos trate mal?", vamos conhecer as artimanhas do comportamento de quem nos trata mal. Uma característica comum a todo comportamento perverso é impedir o outro de pensar, para que ele não tome consciência do seu processo de dominância - ele cria fragilidade a fim de impedir que o outro possa se defender.

Marie France Hirigoyen esclarece: "Entre casais, o movimento perverso instala-se quando o afetivo falha ou, então, quando existe uma proximidade excessivamente grande com o objeto amado. Excesso de proximidade pode dar medo e, exatamente por isso, o que vai ser objeto da maior violência é o que há de mais íntimo. Um indivíduo narcisista impõe seu domínio para controlar o outro, pois teme que, se o outro estiver demasiadamente próximo, possa vir a invadi-lo. Trata-se, portanto, de mantê-lo em uma relação de dependência, ou mesmo de propriedade, para comprovar a própria onipotência. O parceiro, mergulhado na dúvida e na culpa, não consegue reagir".

Por isso, aqui vai o primeiro conselho para impedir que alguém lhe faça mal:
Não aceite críticas unilaterais. Ninguém é totalmente responsável por uma situação-problema. Portanto, não assuma a 'culpa' toda para si crendo que desta forma poderia aliviar a tensão presente. Nestes momentos, nos ajuda lembrar que a origem do comportamento perverso está justamente no fato da pessoa não querer assumir a responsabilidade por seus atos. Portanto, ao assumir o que cabe ao outro, estamos nutrindo o seu comportamento hostil.

Outra artimanha do comportamento perverso consiste em recusar uma comunicação direta. Marie France Hirigoyen alerta:
"O parceiro vê-se obrigado a fazer as perguntas e dar as respostas e, caminhando a descoberto, evidentemente comete erros que são captados pelo agressor
para enfatizar a nulidade da vítima".
Portanto, se você percebe que anda falando sozinho num relacionamento a dois, está na hora de parar e perguntar-se se vale a pena ajustar-se a tal comportamento. Pois ele é autodestrutivo.

A esta altura, já entendemos que quem nos trata mal não está receptivo a conversar, pois isso significaria o fim do conflito, o que o impediria de extravasar a sua agressão. Portanto, é importante levarmos em conta os custos e benefícios de tal relacionamento. Neste sentido, ao invés de lamentarmos "Me solta!", podemos nos dizer: "Eu te solto!". Para tanto, teremos que nos tornar conscientes tanto de nossas limitações quanto de nossos recursos para, passo a passo, nos soltarmos da crença de que estamos presos a uma posição sem saída.

Ainda que os outros nos tratem mal, podemos nos tratar bem!Na medida em que cultivamos uma certeza interna inabalável de não querermos mais nos envolvermos em relacionamentos destrutivos, desenvolvemos amor e gentileza - uma energia positiva interior impede que nossos inimigos ou seres malignos nos causem mal, pois precisariam apoiar-se em alguma negatividade nossa para isso.

Assim como aconselha Lama Gangchen Rinpoche:
"A coisa mais importante do mundo é nunca abandonar nosso coração acolhedor, mesmo diante de uma ameaça de morte, pois esse é o nosso verdadeiro e eterno amigo".




Autoria: Bel Cesar
www.somostodosum.com.br/brlcesar
www.vidadeclaraluz.com.br


Imagem:
Internet


segunda-feira, 25 de outubro de 2010

A Desindentificação



" Quando me identifico totalmente com o meu trabalho, a minha obrigação, o meu objetivo, ou quando faço com que a minha auto-estima dependa de eu ser ou não capaz de realizar seja o que for, nunca dominarei realmente aquilo que tenho que fazer. A fixação no meu trabalho ou no objetivo boqueia-me...

O medo de fracassar dificulta a boa execução do que tenho para fazer. Abandonar a minha identificação com aquilo que tenho pela frente é que me torna livre para o poder fazer bem, pois já não depende tudo da forma como eu o fizer.

É a isto que a Psicologia Transpessoal chama desidentificação. Ou seja: observo os meus pensamentos e os meus sentimentos, mas não me identifico com eles. Olho para o que tenho que fazer, mas não sou aquilo que tenho que fazer. Tenho raiva, mas não sou a minha raiva... Observo os meus pensamentos e os meus sentimentos, por ex. o medo, e coloco-me por detrás dele como uma testemunha imóvel e como um si-mesmo intocável e inatingível.

A desidentificação liberta-me da obrigação de ter de realizar a minha tarefa com perfeição. A des-identificação é, segundo a Psicologia Transpessoal, a verdadeira terapia.

Enquanto nos identificarmos com algum problema, ele será o nosso problema constante.

Só nos tornaremos realmente livres do problema quando pararmos de nos identificar com ele".



Anselmo Grün, O Céu Começa em Você, editora Vozes, pp. 110-111 (adaptado)

Citado em:
http://musgosverdes.spaces.live.com/blog/cns!B979A0DCC5B8C906!1377.entry

Imagem: Internet



Exercício de Desindentificação e Identificação




Exercício de Desindentificação

"Eu tenho um corpo, mas não sou esse corpo. Meu corpo pode se encontrar em diferentes condições de saúde ou doença. Isso nada tem a ver com o meu “ Eu” verdadeiro.
Eu tenho um comportamento, mas não sou esse comportamento. Todo o meu comportamento provém dos meus pensamentos. Como não desenvolvi controle de mim mesma, e assim ainda funciono no piloto automático, às vezes me comporto de forma inadequada. Mas ainda que eu me comporte bem ou mal, eu não sou esse comportamento. Isso nada tem a ver com meu “ Eu” verdadeiro.Eu tenho emoções, mas não sou essas emoções. Porque ainda não desenvolvi o controle de mim mesma, minhas emoções às vezes são negativas e outras vezes positivas. À medida que eu for me assenhoreando de minha vida, isso irá mudar. Embora uma onda de emoções possa me dominar, eu sei que não sou essas emoções. Minha verdadeira natureza não irá mudar. “Eu” permaneço a mesma.Eu tenho uma mente, mas eu não sou essa mente. Minha mente é a ferramenta que tenho para criar emoções, o comportamento e o corpo físico, assim como as coisas que atraio para minha vida. Porque ainda não desenvolvi o controle de mim mesma, minha mente às vezes me governa, em vez de eu controlar a minha mente. A mente é o meu instrumento mais valioso, mas não, mas não é aquilo que “ Eu” sou.


Exercício de Identificação

O que sou “ Eu” ?Depois de desidentificar-me dos conteúdos da consciência, afirmo que sou um centro de pura autoconsciência. Sou um centro de vontade e poder pessoais, capaz de ser a causa e a criadora de cada aspecto de minha vida. Sou capaz de dirigir, de escolher e de criar todos os meus pensamentos e emoções, o meu comportamento, a saúde do meu corpo e as espécies de coisas que atraio para a minha vida, É isso o que “ Eu” sou.
Direcione os pensamentos na libertação".




Fonte:
http://www.alemdosegredo.com/forum/2010/03/25/exercicio_para_esquecer_seu_ex_e_renovar_suas_vidas

Imagem:
terapia.transpessoal.tvp.zip.net/

domingo, 24 de outubro de 2010

ESSÊNCIA DE SRI BHAGAVAD GITA



"Porque se preocupa desnecessariamente?
Quem é que você teme?
Quem é que você pode matar?
A alma não nasce nem morre.

O que aconteceu foi para o melhor.
O que irá acontecer é para o melhor.
Não se ponha a matutar no passado.
Não se preocupe com o futuro.
O presente está aqui.

O que é que perdeu que o faz chorar?
O que é que trouxe que tenha perdido?
O que construiu que tenha sido destruido?
Você não trouxe nada.
O que tem, arranjou aqui.
O que lhe foi dado, foi dado aqui.
O que tirou, tirou do Universo.

Você veio de mãos vazias e irá de mãos vazias.
O que é seu hoje, foi de alguém no passado e será de mais alguém no futuro.
Você pensa que é seu e está agarrado a isso.
Isso chama-se apego e é a causa de todo o seu sofrimento.

A Mudança é a lei da vida.
Aquilo a que você chama de morte é de fato a vida em si.
Num momento você é milionário e a seguir é pobre.

Meu-teu; Pequeno-grande; Nossos-deles.
Retire isso da sua mente e tudo será seu e você será de todos."




Imagem:
www.bhagavad-gita.org/Articles/vyasa.html


sábado, 23 de outubro de 2010

LEIS DA PROSPERIDADE



1. Penso sempre com amor a meu respeito. Desenvolvo pensamentos de amor, aceitação, admiração e valorização a meu respeito, portanto, mereço o que há de melhor
que o mundo tem a oferecer.

2. Procuro ser independente, ter meios, estratégias e estruturas próprias de agir para não depender dos outros nem de suas opiniões a meu respeito.

3. Penso no dinheiro com amizade, alegria, prazer. Mesmo em situações negativas, procuro pensar em riqueza e prosperidade.

4. Mantenho na mente a convicção constante de que tenho sabedoria e inteligência em todos os negócios. Crio a regra mental de que atraio sempre as pessoas certas, as situações favoráveis,
os melhores negócios.

5. Controlo palavras, emoções e atos que possam parecer inadequados, agressivos, negativos, descontrolados. No mundo dos negócios, é preferível calar a pronunciar más palavras.

6. Utilizo o poder que vem de dentro: aproveito minhas intuições, as mensagens do meu Eu Interior, que podem surgir através de conversas, propagandas, cartas, avisos, leituras, telefonemas, encontros, filmes, uma frase dita por alguém.

7. Conservo, sempre, uma agenda de anotações no bolso. Anoto as sugestões que surgirem, em qualquer hora, em qualquer lugar que estiver.

8. Mantenho em mente a certeza de que ofereço o meu melhor. Trabalho com determinação, colocando todo o meu potencial no que faço. Trabalho em ritmo divino.

9. Economizo. Focalizo o que realmente é importante. Compro somente o que é imprescindível no momento para o desenrolar do negócio. Evito despesas desnecessárias.

10. Mentalizo o crescimento no momento presente e no futuro imediato.
Concentro minha mente na prosperidade do negócio.




Autoria: Joana Regina Zanchetta T. Flores
Livro: A Porta de Saída Se Abre Para dentro

Imagem: Internet


ORAÇÃO À GRANDE MÃE



"Mãe nossa,
Cujo corpo é a Terra,
Santificado seja o teu ser.

Floresçam os teus jardins.
Seja feita a tua vontade,
Assim nas cidades como na natureza.

Agradecemos a este Dia,
O alimento, o ar e a água.

Perdoa nossos pecados contra a Terra,
Como nós perdoamos uns aos outros.

E não nos deixes ser extintos,
Mas livra-nos da nossa insensatez.

Pois tua é a beleza e o Poder,
E toda a vida, do nascimento à morte,
Do princípio ao fim.

Amém.
Que Assim Seja.
Abençoada Sejas"!




Imagem: Internet


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

EU SUPERIOR



... a finalidade única da existência humana é a de aceitar uma luz na escuridão do ser.
C.G.Jung (Memories, Dreams, Reflections,1961)



"Temos em nossas mãos a possibilidade de transformar nossa vida, abrir nossa mente, ampliar nossos horizontes, atingir nossas metas, viver novas esperanças e ideais, amar e ser amados e nos tornarmos cada vez mais verdadeiros, completos e sábios.

Nós temos o poder para acessar a porta que se abre para dentro, aprender a usar este caminho nos possibilita escutar a voz do nosso Eu Superior.

Quando expressamos nossa vontade de comunicação com nosso Eu Superior,
Ele se aproxima e se manifesta de alguma forma.

Pode ser através de pessoas, idéias, leituras, viagens, telefonemas,
trabalhos, conhecimentos do mundo.

Pode-se perceber a presença desta energia nas surpreendentes “coincidências” que ocorrem em nossa vida, na sincronicidade que se manifesta através dos
eventos internos simultâneos a eventos externos.

Nada acontece por acaso, tudo tem um sentido para ocorrer.

Podemos falar com Ele a qualquer instante que desejarmos, mas o momento ideal para a comunicação é à noite, quando a mente passa da consciência ao sono e a cada manhã,
quando ela passa do sono ao estágio consciente.

O Eu Superior irradia a sabedoria de todos os tempos, dos mestres do passado, do presente e do futuro e nos oferece a compreensão de que nós também somos um mestre,
um ser especial que possui uma centelha divina, a nossa essência.

Os ruídos dissonantes, os sentimentos negativos, as palavras, as convivências nocivas, os objetivos materialistas e ações destrutivas muitas vezes
nos impedem de escutar nosso Eu Superior.

Para acessa-lo, é necessário criar momentos de serenidade, silêncio, interiorização, recolhimento, paz interior, harmonia e amor a todos os seres.

É preciso que estejamos imersos em bons pensamentos, bons anseios e sentimentos e que nos desapeguemos dos desejos e das emoções materialistas.

A conversa com nosso Eu Superior nos traz esclarecimentos, orientação e a melhor solução.

Ele nos ajuda a recordar a sabedoria que está dentro de nós, que nós sabemos existir,
mas que esquecemos um dia.

Ele nos diz que podemos ser tudo aquilo que de melhor podemos ser!"




Autoria: Joana Regina Zanchetta T. Flores
Livro: A Porta de Saída Se Abre Para dentro


Imagem: Internet


quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Sobre A Vida e o Viver


"A vida num corpo físico é uma parcela muito pequena da existência total de uma pessoa.
Depois de passar por todas as provas para as quais fomos mandados à Terra como parte de nosso aprendizado, podemos então nos formar.

Podemos sair de nosso corpo, que aprisiona a alma como um casulo aprisiona a futura borboleta e, no momento certo, deixá-lo para trás. E estaremos livres da dor, livres dos medos e livres das preocupações... livres como uma linda borboleta voltando para casa, para Deus... em um lugar onde nunca estamos sós, onde continuamos a crescer, a cantar, a dançar, onde estamos com aqueles a quem amamos e cercados de mais amor do que jamais poderemos imaginar.

A maior dádiva de Deus para nós é a livre escolha. Nada é por acaso. Tudo na vida acontece por uma razão positiva. Se protegermos os canyons dos vendavais, nunca veremos a beleza de seus relevos.

A única finalidade da vida é crescer.

A suprema lição é aprender como amar e ser amado incondicionalmente.

Há milhões de pessoas no mundo que estão passando fome. Há milhões sem um teto. Há milhões que sofrem de AIDS.

Há milhões de pessoas que sofreram violências. Há milhões de pessoas que padecem de invalidez. Todos os dias, mais alguém, clama por compreensão e compaixão.

Escutem o som de suas vozes.
Escutem como se o chamado fosse música, uma linda música.

Posso garantir que as maiores recompensas da vida inteira virão do fato de vocês abrirem seus corações para os que estão precisando.

As maiores bênçãos vêm sempre do ajudar aos outros".



Livro: A Roda da Vida (Trecho)
Autoria: Elizabeth Kübler-Ross
http://lucio-vergel.blogspot.com/search/label/ELISABETH%20K%C3%9CBLER-ROSS

Imagem:
www.wow4u.com/lifeq/index.html


quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Criança Interna




"Olá, minha criança! Vim buscar quem fui, onde ficou.

Que bom te reencontrar, pois sei que um dia
deixei-te na estrada para ser quem sou.

Voltei agora para te buscar."





(Escutando Sentimentos - pelo espírito Emance Dufaux)

Imagem: Internet


domingo, 25 de julho de 2010

Mediunidade e Espiritualidade


- Spirituality -


"O melhor médium é o médium espiritualizado"

"Houve um tempo em que o refrão 'o melhor médium é o médium evangelizado', criado pelos espíritas, chegou a ser tomado como lei.

Acontece que, como a mediunidade só era sistematicamente estudada e treinada dentro das casas espíritas, era natural que, para eles, o melhor médium fosse o mais evangelizado, uma vez que o Espiritismo é uma doutrina baseada no Cristianismo, nos ensinamentos deixados por Jesus nos Evangelhos.

O desvio começou quando esse parâmetro tornou-se popularmente difundido, como se o médium que professasse qualquer outra religião ou doutrina, ou que não professasse nenhuma religião ou doutrina, não pudesse ser um bom médium, um médium responsável, um médium voltado para o crescimento espiritual de si próprio e das pessoas com quem convive.

No entanto, mais importante que a crença professada pelo médium, é a forma como entende, exerce e usa sua mediunidade. E nesse aspecto, pouco importa se segue os ensinamentos de Jesus, Buda ou Krishna, pois todos eles, em essência, dizem as mesmas coisas, ensinando que somos todos espíritos, imperfeitos ainda, encarnando e desencarnando sucessivamente, e todos iguais perante o Criador.

Nesse aspecto, importa mais saber como o médium vê o próximo e o que deseja para ele; se usa sua mediunidade, ainda que inconscientemente, para levar o bem a todos, indistintamente; se usa a mediunidade para aprender e crescer; se, mais do que médium, ele entende que é um espírito e, como tal, deve levar sua vida aqui na Terra.

A condição temporária de médium é apenas mais uma tarefa, mais um trabalho a ser cumprido, que não o exonera de todas as outras tarefas comuns a todos os outros seres humanos. Ao contrário, como médium, ou seja, como intermediário entre os homens encarnados e os homens desencarnados, ele deve conhecer bem a natureza humana e, para isso, deve viver bem NO mundo, sem viver PARA o mundo.


'Melhor ser espiritualizado do que ser médium'.

A mediunidade é condição que nos coloca em contato direto com o mundo espiritual, o mundo de onde viemos e para onde voltaremos quando esta vida terminar, mas, sendo neutra em si mesma, da mesma forma que nos dá a possibilidade do contato com seres elevados, também pode nos colocar em contato com seres desequilibrados e perturbados. O que determina a qualidade dos contatos a serem feitos por seu intermédio é a intenção do contato e, principalmente, o nível espiritual de quem a possui e exerce.

Quanto mais espiritualizado for o médium, no sentido de ter consciência de sua condição de espírito em experiência na carne, aprendendo e corrigindo-se para crescer, mais elevados serão seus contatos e mais positivos os frutos desses contatos, mesmo quando manifestando entidades desequilibradas, desorientadas e perturbadas, pois estarão sempre voltados para a espiritualização da humanidade como um todo.

De nada adianta ser médium sem essa consciência, pois não estamos aqui para sermos apenas bons médiuns, mas para sermos espíritos melhores, mais éticos e amorosos, e a mediunidade é apenas mais um recurso que Deus nos proporciona para termos sucesso nessa empreitada.

O médium que não procura crescer como espírito, que não busca o aperfeiçoamento de si mesmo em bondade, discernimento, amor, fé e serenidade, que não procura levar às outras pessoas a idéia de que não somos este corpo físico, de que a nossa essência é muito mais sutil, mais nobre e muito mais importante que ele, é mero alto-falante, que apenas repete o que lhe dizem os espíritos, sem se importar com o nível desses espíritos, sem se preocupar se o que dizem é bom ou ruim, sem se importar com o efeito do que é dito nas outras pessoas e no mundo à sua volta.

É o que diz Ramatis, no livro Mediunismo, quando afirma que “não basta ver, ouvir e sentir espíritos em seu plano invisível, pois o médium, em qualquer hipótese, deve ser o homem que, além de contribuir para a divulgação da imortalidade do espírito na Terra, é cidadão comprometido com os deveres comuns junto à coletividade encarnada, onde só a bondade, o amor, o afeto, a renúncia e o perdão incessante podem livrá-lo das algemas do astral inferior.”

Por isso destacamos a frase acima, pois é melhor ser espiritualizado, sem ser médium, do que ser médium, sem ser espiritualizado, já que é muito mais importante para nós evoluirmos como espíritos, independentemente de sermos médiuns ou não.

De nada adianta sermos ótimos médiuns, vendo espíritos, conversando com eles, escrevendo e falando o que eles pensam, se não formos capazes de aprender com isso, se não formos capazes de buscar e levar luz neste contato, se não formos capazes de tornar o mundo à nossa volta melhor com esse intercâmbio.

O contato com o mundo dos espíritos, por si só, não atribui a nenhum médium qualidades morais que ele não tenha em si, que ele mesmo não tenha conquistado como consciência, que ele mesmo não possua, como herança de seus próprios esforços ao longo de sua vida espiritual.

Ninguém se torna digno de confiança e respeito apenas por ser médium.

E o médium só será considerado digno de confiança e respeito quando já o for como indivíduo".



Obs.: Os grifos, no texto, são meus.

Autoria: Maísa Intelisano
http://www.ippb.org.br/index.php?option=com_
content&view=article&id=4500&catid=53&Itemid=87


Imagem:
successfulperspectives.com/index.php?p=1_18_S...


terça-feira, 20 de julho de 2010

Aulas Gratuitas de Tai Chi Chuan - Venha Participar!



Informativo:

Haverá aulas de Tai Chi Chuan, aos sábados, em nossa Clínica CEDRUS.
As 4 primeiras aulas serão gratuitas.

Início: 24/07/2010
Horário: 14:30-16:00

Serão ministradas por Fernando: Professor de Tai Chi Chuan, Psicólogo e Filósofo.

A inscrição poderá ser feita através deste blog, pelos meus e-mails, ou pelos fones
(constados na coluna da direita do blog).
Deixe seu nome e fone de contato, por gentileza.

Teremos imenso prazer em recebê-lo(a)!


Adelia Ester M. Zimeo


:::::::::::


O Tai Chi Chuan é uma arte milenar de origem oriental, com um sistema de práticas que beneficiam as pessoas num todo, equilibrando tanto a mente quanto o corpo.As práticas de Meditação (Serenidade) e o Tai Chi Chuan são técnicas específicas para a obtenção de estados mentais tranqüilos, que podem ajudar na prevenção e na cura de doenças.

O Tai Chi Chuan integra o corpo e a mente, a respiração e o movimento, as mãos e os pés. O corpo inteiro se torna integrado e move-se como um todo. A mente (Yi) é usada para dirigir a energia (Chi) e movimenta os membros do corpo. O movimento impulsiona o sangue através do sistema, ajudando no funcionamento adequado dos órgãos internos.

O Tai Chi Chuan é composto de movimentos abertos, redondos e relaxados, designados a estabilizar o equilíbrio das forças vitais do organismo (a união entre as forças vitais Yin e Yang). Isto ajuda todo o corpo a executar suas funções de maneira eficiente, sem a intervenção do trabalho de cada órgão.

Através destes movimentos suaves, aprendemos o segredo da "imunidade contra doenças degenerativas".

Com o conhecimento de como exercitar-se corretamente e com determinação a disciplinar-se consistentemente, adquirimos a saúde natural.

A prática do Tai Chi Chuan ocasiona um impacto no Sistema Nervoso Central e constrói uma fina base para o melhoramento dos outros nove sistemas orgânicos do corpo: sistema esquelético, sistema muscular, sistema circulatório, sistema linfático, sistema excretor, sistema endócrino, sistema nervoso, sistema digestivo e órgãos sensoriais.


Alguns benefícios da prática constante do Tai Chi Chuan:

- aumento da vitalidade, dando mais energia e disposição;
- fortalecimento do sistema nervoso;
- aumento da atenção e concentração mental;
- desenvolvimento pleno do potencial mental e espiritual;
- equilíbrio total de todos os sistemas orgânicos do corpo;
- conquista da serenidade e o equilíbrio das emoções;
- auxilia na prevenção e redução do estresse e a sobrecarga mental;
- aumento da flexibilidade, proporcionando um relaxamento muscular em todo o corpo;
- fortalecimento do sistema imunológico ajudando na prevenção de doenças;
- superação dos medos e limites.

Veja algumas pesquisas comprovadas sobre os benefícios do Tai Chi Chuan.




Fonte:
http://www.taichichuan.com.br/index.php?pagina=benefic

Imagem: Internet


segunda-feira, 12 de julho de 2010

Estrelas...

- Holding Stars in Sky -


"Você traz consigo estrelas que a vida concede.

Estrelas de brilhar, estrelas de crescer, estrelas de encontrar o caminho do sonho que se persegue.

Saber reconhecer as estrelas é o nosso destino.

Porque há quem se encante com o brilho de estrelas que não são suas e se perde.

Há quem deseje o brilho de outra mais distante e por isso passe quase todo o tempo como passageiro, a espera de um trem para lugar nenhum.

Aceitar as estrelas que trazemos é o que faz a diferença entre o que queremos ser e o que verdadeiramente somos.

Brilhar é acreditar na força que elas têm.

E aí então, deixar que suas luzes se derramem alma a dentro.

Que carregar as estrelas seja como conduzir um candeeiro para que, onde quer que se vá, possam todos perceber a claridade".




Texto enviado por: Jorge


Imagem:
http://media.photobucket.com/image/holding%20stars%20in%20sky/
Brenda_2009__/fantasygirlmoon.jpg