segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Celebrando A Vida



Acorda, o dia já nasceu!

Olha o sol, olha a chuva, olha a vida acontecendo...

Abre teus olhos e sente,
são teus olhos que vêem e experimentam todas as cores,
são tuas mãos que tocam o mundo,
é teu espírito que toca a vida,
trazendo ao teu coração a certeza de que tudo está disponível
para que tu despertes contente.

Tantas coisas te esperam neste dia...

Dá a chance para que teu ser esteja presente a cada momento,
dá a oportunidade para que teu ser cresça,
expanda rumo à luz amorosa que sempre está a te iluminar
mesmo quando não sentes a sua presença...

Dá tempo, dá carinho a ti mesmo.

Ouve a tua verdade, tuas necessidades...

Dá amor, dá alegria a ti e a todos aqueles que cruzarem o teu caminho neste dia.

Alimenta este estado, pois tua vida começa aqui, agora, neste momento.

Preserva as águas límpidas que banham teu ser,
rega as flores que perfumam tuas mãos,
traz o silêncio para dentro de ti
quando teus olhos se fecharem na ânsia de sentir a amorosidade que avança,
mostrando, pouco a pouco, que és parte desta grande celebração que é a vida,a tua vida!



Fonte:
http://www.paz.com.br/

Imagem: Internet


Gratidão --- Sentimento Que Une Os Corações À Luz


A todos vocês, minha profunda gratidão por este ano
em que passamos juntos, nos enriquecendo mutuamente.

Um Ano Novo repleto de bençãos!
Um Feliz 2010!


Beijos.
Meu afeto.

Adelia Ester M. Zimeo


::::::::::::::




"Para você, que sente um Grande Amor.
Para você, que caminha com Fé.
Para você, que confia na Luz.
Para você, que caminha com gratidão.
Para você, que escuta a canção do Eterno.
Para você, que se encanta com a vida.
Para você, que perdoa e, também, se perdoa.
Para você, que sente o coração do Todo em tudo.
Para você, que não consegue odiar nem fazer o mal.
Para você, que sabe o valor da vida.
Para você, que dá e recebe flores.
Para você, que ainda ri igual criança arteira.
Para você, que se atreve a ser feliz, aqui e agora!
Para você, que sabe que é um espírito, por discernimento.
Para você, que gosta de Jesus e Buda.
Para você, que gosta de Krishna e Yemanjá.Para você que gosta de Maomé e Kuan-Yin.
Para você, que gosta do Pai Joaquim e Moisés.
Para você, que gosta da luz do sol e se sente vivo(a)...
Para você, que gosta do brilho suave da lua, e se inspira...
Para você, que não deixa seu coração escurecer, por nada.
Para você, que sabe que não morre, e isso é consciência!
Para você, que canta a Luz, mesmo diante dos problemas.
Para você, que, mesmo cansado(a), jamais trai seu coração.
Para você, que agradece a Luz, por tudo.
Para você, que tem defeitos, sim, mas que está lutando para melhorar.
Para você, que sabe que espiritualidade não é doutrina, é consciência!
Para você, a quem eu agradeço, por estar aqui, em espírito e verdade.
Para você, a quem Deus trouxe no colo até aqui, para somar na egrégora*.
Para você, amigo(a) de jornada espiritual, que caminha junto na senda do Eterno...
Para você, que é da Luz...


Muito obrigado, por estar aqui, de coração.
Para você, que compreende"...



"(Dedicado aos estudantes e trabalhadores espirituais, de todas as linhas e planos, em nome do Eterno.)

Com Gratidão.Paz e Luz.- Wagner Borges – cada vez menor diante de um Grande Amor, que não se explica, só se sente, em espírito e verdade...São Paulo, 20 de maio de 2009.

Notas: * Egrégora - do grego “Egregorien”, que significa “velar”, “cuidar” - é a atmosfera coletiva plasmada espiritualmente num certo ambiente, decorrente do somatório dos pensamentos, sentimentos e energias de um grupo de pessoas voltado para a produção de climas virtuosos no mundo. É a atmosfera psíquica resultante da reunião de grupos voltados para trabalhos e estudos baseados na LUZ. Pode-se dizer que toda reunião de pessoas para a prática do Bem e da Virtude - independentemente de linha espiritual - forma uma egrégora específica, uma verdadeira entidade coletiva luminosa, à qual se agregam várias outras consciências extrafísicas alinhadas com aquela sintonia espiritual para um trabalho interconsciencial. Provavelmente foi por isso que Jesus ensinou: "Onde houver dois ou mais em meu nome, aí eu estarei." Muitos dizem que não se deve misturar egrégoras de trabalhos diferentes, porém, quando o Amor se manifesta, desaparece qualquer ideologia doutrinária, e só fica o que interessa: a LUZ. No dia em que os homens despertarem para climas mais universalistas e cosmoéticos, com certeza esse mundo será melhor de viver. Viva a LUZ, pouco importa o nome, o grupo ou a doutrina que fale dela. E viva os mentores espirituais que ajudam a todos, independentemente de credo, raça ou cultura esposada".




Fonte:
Wagner Borges
http://www.ippb.org.br/modules.php?op=modload&name=News&file=article&sid=6414

Imagem: Internet


As Qualidades Divinas Por Trás Dos Defeitos



"Atrás de cada defeito que precisa ser transformado existe uma qualidade divina.
Essa qualidade divina existe mesmo antes de o efeito ser transformado.

Por exemplo, por trás da preguiça existe uma capacidade positiva de descontrair e aceitar a vida conforme ela vem, sem se expressar em controlá-la. Por baixo da hiperatividade, por outro lado, existe uma capacidade positiva de agir e pôr a vida em movimento. Por baixo da atitude crítica existe a capacidade de discernir com clareza. Por baixo do desleixo, por outro lado, existe uma capacidade de esquecer o controle do ego e deixar a vida fluir sem interferência.


Normamlmente constatamos que nossas melhores qualidades estão muito próximas de nossos piores defeitos. À medida que os defeitos são gradualmente transformados, mostram uma semente divina.

(...)

Quanto mais nos aprofundamos no exame de nossas falhas, maior a possibilidade de nossa essência se aprimorar. O contrário também é verdadeiro. Quanto mais ligados estivermos à nossa essência divina, mais coragem teremos para enfrentar todos os aspectos distorcidos e não curados que ainda restarem na psique. Na verdade, essa jornada faz aflorar o que há de melhor em nós, fazendo de todos nós heróis e heroínas do caminho interior".



Autoria: Susan Thesenga
Livro: O Eu Sem Defesas

Imagem: Norman Rockwell



domingo, 27 de dezembro de 2009

Sincronicidade



"Quando escrevi La Novana Revelación (A Nova Profecia) e A Décima Profecia, estava firmemente convencido de que a cultura humana evolui por meio de uma série de revelações da vida e da espiritualidade. Elas permitem que nos tornemos mais conscientes de um processo espiritual que atua 'nos bastidores' da vida.

Creio que podemos nos conectar a uma vida cheia de misteriosas coincidências e de intuições súbitas. Elas podem indicar-nos que, nesta existência, cada um de nós tem uma vereda especial. Essas coincidências misteriosas, associadas a intenções repentinas, levam-nos a uma procura particular de informação e experiência, como se estivessem mostrando que um destino predeterminado está lutando para emergir.

Esse tipo de vida é como um romance policial que se desenvolve dentro de nós mesmos e cujas pistas nos levam adiante por meio de revelações incessantes".




Autoria: James Redfield
Livro: A Décima Primeira Profecia
Trecho citado no Livro: O Mistério das Coincidências

Imagem: Internet


quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Então É Natal...



"Que eu possa lembrar dos que vivem em guerra, e fazer por eles uma prece de paz.

Que eu possa lembrar dos que odeiam, e fazer por eles uma prece de amor.

Que eu possa perdoar a todos que me magoaram, e fazer por eles uma prece de perdão.

Que eu lembre dos desesperados, e faça por eles uma prece de esperança.

Que eu esqueça as tristezas do ano que termina, e faça uma prece de alegria.

Que eu possa acreditar que o mundo ainda pode ser melhor, e faça por ele uma prece de fé.


Feliz Natal"!




Texto e Imagem: Internet


segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Auto-Imagem



"Se um dia alguém fizer com que se quebre a visão bonita que você tem de si,
com muita paciência e amor reconstrua-a.

Assim como o artesão recupera a sua peça mais valiosa que caiu no chão, sem duvidar de que aquela é a tarefa mais importante, você é a sua criação mais valiosa.

Não olhe para trás.

Não olhe para os lados.

Olhe somente para dentro, para bem dentro de você e
faça dali o seu lugar de descanso, conforto e recomposição.

Crie este universo agradável para si e seja feliz.

O mundo agradecerá o seu trabalho".




- Brahma Kumaris -
Texto enviado por: Aliene

Publicado em meu blog www.shekynah.blog.uol.com.br (13/10/2005)

Imagem: Internet


terça-feira, 15 de dezembro de 2009

"Se Você Acredita, Parece Verdade"










"Quantas vezes já dissemos: 'Eu sou mesmo assim mesmo' ou 'É, as coisas são assim'. Essas frases na realidade estão dizendo que isso é o que acreditamos como verdade para nós, e geralmente aquilo em que acreditamos não passa da opinião de outra pessoa que incorporamos no nosso sistema de crenças. Sem dúvida, ele se ajusta a todas as outras coisas em que cremos.

Você é uma dessas pessoas que acorda numa certa manhã, vê que está chovendo e diz:
'Que dia miserável'?

Não é um dia miserável. É apenas um dia molhado. Se usarmos roupas apropriadas e mudarmos nossa atitude, podemos nos divertir bastante num dia chuvoso. Agora, se nossa crença for a de que dias de chuva são miseráveis, sempre receberemos a chuva de mau humor. Lutaremos contra o dia em vez de acompanharmos o fluxo do que está acontecendo no momento.

Não existe 'bom' ou 'mau' tempo, existe somente o clima e nossas reações individuais a ele.

Se queremos uma vida alegre, precisamos ter pensamentos alegres. Seq ueremos uma vida próspera, precisamos ter pensamentos de prosperidade. Se queremos uma vida com amor, precisamos ter pensamentos de amor. Tudo que enviamos para o exterior, mental ou verbalmente, voltará a nós de forma igual".



Autoria: Louise Hay
Livro: Você Pode Curar Sua Vida

Imagem:
www.shutterstock.com/pic-32168812/stock-vecto...



A Raiva Saudável Pode ser Uma Expressão do Amor



A raiva saudável precisa ser expressa de vez em quando, numa vida bem integrada. A raiva saudável não gera desarmonia interior. É um grande erro ignorar ou negar este fato. A negação vem da junção artificial das forças interiores e da sobreposição de bondade forçada e falsa. A noção de que não existe raiva ocasional numa pessoa efetivamente desenvolvida do ponto de vista espiritual é uma falsa crença, nascida do medo e da obediência.

No plano humano, a raiva saudável é uma necessidade. Sem ela, não haveria justiça nem progresso. As forças da destruição prevaleceriam. Permitir que essas forças assumam o controle é fraqueza, não amor; medo, não bondade; colocar panos quentes e incentivar o abuso, não viver construtivamente. Isto destrói a harmonia, em vez de promovê-la.
Destrói o crescimento saudável.

A raiva pode ser uma reação ocasional tão saudável e necessária quanto o amor. Ela faz parte do amor. Ela, também, surge espontaneamente. Ela, também, não pode ser forçada. Tentar forçar ou negar qualquer emoção leva ao auto-engano o que, por sua vez, pode levar a pretender que a raiva doentia é saudável.

A causa não determina se a emoção despertada é raiva saudável ou doentia. A causa pode justificar totalmente a raiva saudável, autêntica, real, que nesse caso, naturalmente é construtiva. No entanto, a raiva pode ser do tipo doentio, devido aos problemas não-resolvidos, à insegurança, às culpas e dúvidas, às incertezas e contradições dessa pessoa. A questão em si pode provocar raiva justificada, mas a pessoa pode não ser capaz de expressar esse tipo de sentimento.

Na medida exata em que uma pessoa é capaz de sentir e expressar amor verdadeiro, ela também é capaz de manifestar raiva saudável e construtiva. Tanto o amor real como a raiva real vem do eu interior. Absolutamente todo sentimento real é saudável e construtivo e propicia o desenvolvimento do eu e dos outros. Os sentimentos reais não podem ser forçados, comandados nem impostos. Eles são uma expressão espontânea, que ocorre como resultado natural e orgânico do exame de nós mesmos.

A raiva saudável não se manifesta necessariamente como violência física. A expressão das emoções negativas, mesmo quando não são saudáveis, não precisa de maneira nenhuma levar a atos destrutivos sejam físicos ou não.

Este é um dos equívocos mais frequentes e prejudiciais. A psique interior receia que o reconhecimento das emoções negativas possa levar à sua manifestação exterior. Não é assim. Pelo contrário, vocês têm liberdade para manifestar ou não, podeme scolher como e quando fazer isso, ou concluir se querem expressar alguma emoção apenas quando estão plenamente conscientes. Quando não estão cientes do que realmente sentem e porque, vocês ficam sujeitos a compulsões de toda espécie, que fazem sofrer e que não são entendimentos. A compulsão é o resultado direto de sentimentos e condições inconscientes e não-reconhecidos. Quanto mais a pessoa se conhece, maior é seu autocontrole. Não temam, porque não é assim: 'Eu não posso encarar a mim mesmo com sinceridade porque, nesse caso, eu teria de colocar para fora impulsos indesejáveis, fazer mal aos outros e, portanto, no fim das contas, fazer mal a mim mesmo.' Também é preciso trazer à tona essa apreensão e eliminá-la.

Repitam o seguinte, todos os dias, ao meditar: 'A expressão do que sinto, por mais indesejável que seja, me dará liberdade. Tenho opções para agir apenas na medida da minha percepção. Posso decidir expressar verbalmente meus sentimentos quando sua finalidade for boa, como numa sessão com quem me ajuda. Se eu achar que essa expressão pode prejudicar o relacionamento, eu me conterei, sabendo o que faço e sem me iludir.' Essa meditação fortalece, pois penetra nas camadas ocultas da psique. A raiva saudável, desde que originária do eu real, sabe exatamente o que fazer e como suprir as necessidades do momento.

(...)

Quem continuar a tentar encontrar a expressão correta dos sentimentos no momento presente sentirá a beleza do universo, a verdade da existência sem conflitos. Essa verdade implica amar e receber toda a felicidade a que se tem direito.




Autoria: Eva Pierrakos/Judith Saly
Livro: Criando União


Imagem: Internet


70 Itens Para Uma Vida Natural - de Carlos Aveline



Um Corrimão de Escada Para o Cidadão Ecologicamente Correto



Nenhum discurso pode ser mais forte do que a prática da qual ele emerge.
Esta prática pode ser pessoal ou de grupo, social ou individual, objetiva ou subjetiva; ou ocorrer em todas estas dimensões, ao mesmo tempo.

A base do discurso, no entanto, é a vivência. A força dos profetas - ecológicos ou não - só pode vir da vida concreta que eles levam adiante. As palavras são extremamente úteis quando emergem de uma vivência real. Mas só servem para desorientar ainda mais quando estão divorciadas dos fatos.

Assim, também, a consciência ecológica do cidadão brasileiro será tão forte e clara quanto seus gestos cotidianos. Consciência ambiental não se reflete em saber intelectualmente que o automóvel não deve ser exagerado como opção de transporte, mas em usá-lo menos, de fato, incluindo a bicicleta, o ônibus e a caminhada em nossas opções práticas e cotidianas. O amigo da natureza não é apenas aquele que tem um discurso de defesa do ambiente natural. É, mais ainda, aquele que reexamina a cada dia sua vida pessoal e a adapta, tanto quanto possível - com equilíbrio –, ao ideal de vida que ele mesmo vai constantemente esculpindo à medida que aprende a viver.

No século 21, é preciso ir além do discurso crítico. E uma nova prática já emerge da vida de cada um. Novos hábitos alimentares, uma nova vigilância ecológica de cada consumidor, toda uma postura diante da vida surge movida por uma multidão de pequenos gestos cotidianos. Esta transformação, simultaneamente individual e coletiva, não parece gigantesca, mas não tem os pés de barro. Acontece quase imperceptivelmente, mas pode ser irreversível. Não é resultado da propaganda, mas do despertar de uma consciência que não pode mais ser retirada do cidadão.

O cidadão ecologicamente correto sabe que seu exemplo diz mais do que suas palavras, e suas palavras têm muito mais peso e significado quando refletem uma prática cotidiana. Há centenas e centenas de recomendações ecológicas a serem possivelmente observadas em diferentes aspectos da vida moderna, submersa na alta tecnologia.

Selecionamos aqui apenas setenta itens, tocando uns poucos aspectos da vida do cidadão. Eles podem servir como elementos de apoio para um exame da nossa prática.

Nossa vida se desenvolve em um ritmo natural? Depois de ler calmamente os itens a seguir, você poderá ter uma imagem do seu desempenho ecológico. Anote quais são as recomendações que você já atende hoje. Em relação a elas, você pode renovar o compromisso com sua própria consciência, ou, em muitos casos, ampliá-lo, avançando e aprofundando a sua postura.

Anote também quais são os itens que você ainda não atende, mas que poderia atender quase sem esforço, com vantagem para sua saúde e para o equilíbrio ambiental. E marque ainda aqueles pontos que exigem um esforço bem maior, inclusive uma boa quantidade de coerência e autodisciplina. Não tome decisões grandiosas ou radicais. Prefira uma mudança gradual e firme. O mais importante é que você avalie, periodicamente, seu desempenho perante sua própria consciência. Inclua outros itens específicos e que permitam uma avaliação da qualidade da sua vida em um sentido mais abrangente. A ecologia pessoal é a base de toda ecologia social.


1) Respirar mais profundamente - A verdade é que o sangue precisa de oxigênio. Respiração profunda amplia a clareza da mente e dá mais saúde física. Faça isso calmamente, durante alguns minutos por dia. Diante de ar livre e puro, na medida do possível.

2) Dar folga para o estômago - Seu estômago é um dos seus amigos mais importantes. Não se empanturre. Dê descanso ao estômago. Coma para alimentar-se. Não se intoxique.

3) Abrir espaço para a qualidade de vida na rotina diária - Não deixe para depois de amanhã a melhora que pode produzir e estabelecer hoje. A qualidade de vida é uma planta que se tem que regar todo dia.

4) Manter contato com o jornal que você lê, a rádio que escuta, a estação de televisão que assiste - Ligue para seus meios de comunicação social preferidos e faça sugestões de assuntos que deveriam ser abordados, critique quando errarem, elogie quando acertarem. A influência do consumidor é decisiva para que os meios de comunicação possam melhorar seu conteúdo. Escreva cartas para a coluna do leitor e expresse seus pontos de vista.

5) Mastigar bem os alimentos - Quando começa uma refeição, a pressa e a ansiedade devem ser deixadas de lado. Mastigar, como respirar, deve ser um gesto completo, consciente, íntegro, sem exageros.

6) Evitar remédios convencionais - Tome remédios só quando for de fato necessário. Neste caso, prefira o enfoque homeopático ou naturalista. Os laboratórios químicos induzem ao consumo de remédios não só desnecessários, mas prejudiciais.

7) Comer menos carne - Afaste-se, gradualmente, do processo diário de massacre diário dos animais para “produção” de carne. Há ainda outros motivos além do respeito à vida. A carne bovina vem com hormônios, conservantes e toxinas que a tornam alimento pouco saudável. Diminua a carne, e se quiser proteínas animais, prefira leite, queijo, ovos. Pense em uma alimentação mais vegetariana. Se possível elimine todo tipo de carne da sua dieta.

8) Não exagerar com o automóvel - Carro particular causa poluição ambiental e priva seu organismo do necessário exercício físico. Use-o quando necessário mas valorize a caminhada e outros meios de transporte.

9) Andar de bicicleta - Este é o veículo mais usado em todo o mundo. Descongestiona o trânsito nas cidades, não polui e faz bem à saúde.

10) Fazer caminhadas - É outra maneira de garantir o exercício físico diário que o corpo precisa para manter a saúde. Prefira caminhar por ruas mais silenciosas ou parques. Para distâncias curtas, caminhar é melhor que andar de carro.

11) Trocar o café pelos chás naturais - Evite tomar muito café ou chá preto. A ingestão excessiva de café pode causar problemas de comportamento, alterações cardíacas, câncer de bexiga e aumento do colesterol. A cafeína produz insônia e excitação nervosa. O café de cevada pode ser uma alternativa. Mas os sucos e chás naturais têm diferentes propriedades medicinais. Escolha entre eles, o mais adequado para você.

12) Ser amigo das árvores - Além de todas as funções ecológicas conhecidas, ter uma ou mais árvores por perto acalma as pessoas e melhora seu estado de ânimo. No caso de hospitais, pacientes que têm árvores dentro de seu campo visual ficam curados mais rápido. Mantenha seu bem-estar interior convivendo com árvores. Defenda-as, quando ameaçadas. Cuide delas. Plante mudas. Verá, então, como se sente melhor.

13) Deixar o cigarro - Além do tabaco, o cigarro contém quase 2000 agentes químicos, na maior parte cancerígenos. Respeite seus próprios pulmões e os dos outros. No plantio de fumo o impacto ambiental é muito grande: florestas nativas são cortadas e pesticidas são lançados ao solo, e. As mesmas terras poderiam, em vez disso, estar produzindo alimentos para os pobres. O consumo de cigarro é provocado artificialmente por campanhas de propaganda das multinacionais. Economicamente, as doenças geradas pelo cigarro significam grande prejuízo para a sociedade.

14) Preferir alimentos com fibra - Segundo a Organização Mundial da Saúde, 80% dos casos de câncer ocorrem por razões ambientais, inclusive o cigarro e a má alimentação. Os alimentos integrais, com fibras, previnem problemas de saúde. Evite alimentos artificiais ou refinados.

15) Raio-X, só quando indispensável - Evite radiografias sempre que possível. Mesmo pequenas doses de radiação – que às vezes nem são tão pequenas – devem ser evitadas para manter melhor a saúde.

16) Uma pausa antes de comer - Antes de iniciar uma refeição, pare um instante, acalme sua mente, concentre-se na idéia mais elevada que puder imaginar no momento. Deixe de lado toda pressa e ansiedade. E então comece a comer com calma e tranqüilidade, para que a digestão possa começar de maneira certa.

17) Preferir acupuntura, do-in, homeopatia - As terapias alternativas não intoxicam o paciente, que é convidado a compreender si mesmo não só o mecanismo da doença, mas as bases do equilíbrio interno que sustenta a saúde física.

18) Beber menos leite - Diversos produtos químicos são lançados em seu leite diário, desde conservantes até aromatizantes. As vacas leiteiras recebem doses quase constantes de antibióticos e hormônios prejudiciais à saúde delas e à nossa também.

19) Economizar e reciclar papel - Use papel dos dois lados. Quando possível, compre papel reciclado, ou pelo menos não branqueado com cloro, produto nocivo ao meio ambiente.

20) Comendo ovos? Cuidado - Poucas galinhas poedeiras, hoje em dia, têm vida ou alimentação naturais. São mantidas em cativeiro, sem poder mover-se, recebendo altas doses de hormônios para produzir mais ovos. Deixando de comprar ovos nestas “granjas”, você não compactua com o massacre dos animais – e ainda protege sua saúde.

21) Abandonar as frituras - Se você não resiste a uma fritura de vez em quando, faça com que isso seja apenas uma exceção, e use óleos leves, que ajudam a controlar o colesterol. É melhor tentar viver sem frituras, ou com poucas.

22) Largar a carne de porco - A carne de porco é, entre todas, provavelmente a mais prejudicial a saúde. Sem falar na saúde do próprio porco, que é a primeira vítima inocente do processo. Os animais merecem o nosso respeito. Não sabem falar, não podem defender-se, mas sentem dor, tanto quanto nós. E há o nosso corpo físico. É nosso primeiro e melhor amigo neste mundo, e trabalha 24h por dia para nós, sem nada a reclamar, mas tentando reparar todos os erros que cometemos em nossa alimentação e ritmo de vida.

23) Evitar alimentos muito quentes ou muito frios - Chá muito quente, e sorvete ou suco muito gelado, não ajudam o organismo. É melhor evitar os extremos de temperatura nos alimentos ingeridos. Faça como os animais, que instintivamente preferem alimentos com temperatura próxima à de seu organismo. O conselho dos iogues é o mesmo.

24) Comer alimentos naturais da estação - Os vegetais produzidos fora da estação exigem uso mais intensivo de pesticidas e substâncias químicas. Prefira frutas e legumes da época.

25) Fazer exercícios físicos diariamente - Caminhe, ande de bicicleta, faça um pouco de hatha ioga, jogue vôlei, futebol ou basquete ou tênis de praia. Exercícios físicos moderados são essenciais para manter à saúde e uma atitude equilibrada e saudável diante da vida, evitando as causas do estresse e da tensão.

26) Praticar meditação - Considerada por alguns como instrumento para uma ecologia da mente e dos sentimentos, a meditação não é uma prática tão complicada quanto se pensa. Basta sentar-se em silêncio. Observe a passagem dos pensamentos pela mente como se fossem nuvens no céu. Não se comprometa psicologicamente com eles. Com o tempo, seu espaço mental e emocional ficará quase todo livre de “nuvens” ou pensamentos, e surgirá um tipo mágico de liberdade interior.

27) Verduras e legumes sem veneno - Com vitamina A e cálcio, a cenoura e as verduras, assim como a maçã, podem ajudar a neutralizar o chumbo, cobre e outros metais pesados em nosso organismo. Além disso, muitos pesticidas são usados na cultura do tomate, da alface e inclusive da cebola. Em alguns casos, como a fiscalização é falha, os excessos podem ser consideráveis. Lave bem e descasque pepinos e tomates. Jogue fora a camada externa das cebolas. Quando possível, compre produtos de agricultores que não usam venenos.

28) Lavar bem as verduras - Toda verdura de folha deve ser bem lavada para que saiam restos de agrotóxicos. Deixar algum tempo de molho em bacia com água também é bom; inclusive com um pouco de vinagre ou suco de limão, o que ajuda a matar parasitas e bactérias. E jogue fora as folhas externas aonde se acumulam mais os poluentes.

29) Preservar o peixe - Peixe não é necessariamente uma boa alternativa alimentar para quem elimina as espécies mais prejudiciais de carne. As águas poluídas são um sério problema. Peixes acumulam metais pesados. E a questão ética permanece: você sabe quanto sofre um peixe antes de morrer, lentamente, por asfixia? E quem pode medir este sofrimento?

30) Diminuir o açúcar - Aceite o açúcar natural presente nos alimentos. Adoce com mel ou com frutas. Se não puder renunciar ao açúcar, use o mascavo, que é menos prejudicial.

31) Fazer a sua geléia - É relativamente fácil fazer geléia em casa, que é mais barata, com mais fruta, com menos açúcar e sem aditivos.

32) Procurar os recicláveis - Quando for às compras, priorize os produtos recicláveis, que podem ser consertados, reabastecidos, recarregados e usados de novo. Evite produtos que dependem de pilhas e baterias, porque são altamente poluentes.

33) Olhar o rótulo dos alimentos comprados - Verifique a data de validade do produto e as instruções para seu uso. Os consumidores brasileiros que não o fazem acabam comprando grande quantidade de alimentos com data vencida ou usando-os de modo nocivo para a saúde.

34) Preferir garrafas de vidro - Evite as garrafas de plástico, que terão de ser descartadas, enquanto que as de vidro são imediatamente recicladas. Esta é uma pequena opção individual, diária, por uma sociedade ecologicamente viável. Um pequeno ato de autodisciplina e de respeito pelo meio ambiente.

35) Evitar enlatados - Se ainda bebe refrigerantes ou cervejas, não aceite que venham em latas, pelo mesmo motivo do item anterior. Evite alimentos enlatados e compotas, exceto as feitas em casa, em vidros.

36) Deixar de lado o isopor - Usado para embalar sorvetes e em várias outras situações, o isopor é cancerígeno se estiver em contato com alimentos, e contém CFC, que destrói a camada de ozônio nas regiões superiores da atmosfera terrestre.

37) Usar inseticidas caseiros - Nenhum inseticida químico é inofensivo. Se pensa que precisa usá-lo, leia a bula e siga as instruções com cuidado. Mas há também algumas soluções alternativas. Donas de casa experientes informam que, para formigas, deve-se colocar algumas gotas de suco de limão na entrada do formigueiro e deixar ali a casca. As formigas também podem ser eliminadas com o uso de pó de café, talco, pimenta e cinzas. Para baratas, misture bicarbonato de sódio com açúcar e coloque, em tampinhas de garrafas, nos locais freqüentados por elas (sob a geladeira, o fogão, em ralos e lixeiras). O açúcar atrai e o bicarbonato as mata. Para traças, a cânfora é tão eficiente quanto a naftalina. Para aranhas, se forem poucas, pequenas e inofensivas, evite matá-las: elas se alimentam de vários insetos desagradáveis. Para pulgas, o maior problema é com os animais de estimação. Lave-os com água morna e sabonete e enxugue-os. Aplique depois uma solução caseira eficaz para manter as pulgas à distância: duas colheres de sopa de alecrim fervidas em um litro de água.

38) Abandonar o forno de microondas - Além dos fornos domésticos, as freqüências de microondas são usadas em sistemas de radares e telecomunicações. Evite viver próximo de sistemas de radar devido a seus efeitos cancerígenos. No caso do forno doméstico, o melhor é não tê-lo. Opte por métodos mais simples, e seguros, de preparar e aquecer alimentos. Se quiser correr o risco, ponha o aparelho em local o mais retirado possível. Não deixe crianças olharem através do vidro para ver o que está ocorrendo. O Canadá está entre os países mais rigorosos na regulamentação do forno de microondas, devido a seus perigos. A legislação é frouxa nos Estados Unidos e inexistente no Brasil. Além dos problemas citados, o forno de microondas também pode desenvolver aminoácidos tóxicos para os rins e o fígado em alimentos como queijo, leite, carne, e peixe. Normalmente, usado por muito pouco tempo, ele não dá, aos alimentos que aquece, uma temperatura uniforme capaz de matar todas as bactérias.

39) Falar pouco ao telefone celular. Apesar do enorme poder de pressão das empresas de telefonia móvel, multiplicam-se as pesquisas científicas e as suspeitas sobre danos à saúde causados pelo telefone celular chegam constantemente à imprensa. A União Européia promoveu uma pesquisa, feita por empresa alemã, que durou quatro anos. O resultado foi conhecido em 2004. A conclusão dos cientistas foi de que as ondas emitidas pelos celulares prejudicam as células do corpo e o DNA humano, em condições de laboratório. Não há evidências suficientes para proibir esses telefones, mas sugere-se novas pesquisas. Enquanto a polêmica não se esclarece, o melhor a fazer é evitar o telefone celular se ele não for necessário. Ou usá-lo apenas para ligações curtas. Além disso, um detalhe. É melhor que ele não seja carregado junto ao corpo.[1] Em 2005, as autoridades norte-americanas do setor de saúde também alertaram contra o uso de telefones celulares por crianças.

40) Economizar água - A água é um recurso natural escasso. Não deixe a torneira aberta todo o tempo enquanto escova os dentes. Não fique meia hora embaixo do chuveiro aberto. Tome providências imediatamente se há um vazamento em sua casa ou prédio.

41) Proteger as crianças dos alimentos nocivos - Mediante um bom diálogo e um trabalho de educação integral, você pode conscientizar seus filhos (e os amigos deles, já que uma criança não vive isolada) sobre os problemas do excesso de doces e balas, dos refrigerantes, hambúrgueres, cachorros-quentes e outras armadilhas do chamado mundo moderno. Estes alimentos têm, muitas vezes, não só açúcar branco, mas corantes, conservantes, e outros aditivos prejudiciais. A satisfação que eles dão dura poucos segundos, mas há conseqüências de longo prazo como fraqueza nos dentes, mais possibilidades de contrair doenças e gastos com médicos e dentistas.

42) Uso moderado de refrigerantes - Coca-Cola e Pepsi-Cola têm cafeína, que causa uma dependência como a criada pelo café e chá preto. Além disso, outros aditivos e propriedades destas bebidas fazem-nas altamente destrutivas dos dentes e nocivas ao estômago. Em geral os outros refrigerantes são menos agressivos à saúde, o que não chega a ser um elogio. Beba sucos naturais. Não só não fazem mal, mas ajudam a manter e a recuperar a saúde. Também neste aspecto, proteja suas crianças.

43) Desligar mais a televisão - Usada em excesso, a televisão interrompe a vida familiar e destrói a vida intelectual, cultural, e social das pessoas. Com seus programas alienantes, a televisão é um exemplo de poluição mental e deseducação da população. Mas, usada com moderação e inteligência, pode ser um fator positivo na vida. Às vezes, há bons filmes. Existem bons noticiários e alguns programas culturais e ecológicos. A TV Futura, o Discovery Chanel e as televisões educativas desempenham papel positivo. BBC de Londres e CNN têm bom jornalismo.

44) Evitar panelas de alumínio - Procure substituir gradualmente suas panelas de alumínio. Prefira panelas de aço, esmaltadas, de ferro, ou ainda de vidro. O alumínio da panela se desprende quando são cozinhados alimentos ácidos, ou quando se raspa o recipiente com força. Há várias doenças associadas ao excesso de alumínio no organismo humano.

45) Preferir sabonetes naturais - Há sabonetes com perfumes artificiais que não só prejudicam a pele, mas o meio ambiente, isto é, o rio ou arroio para onde vão, dissolvidos na água. Não se iluda com perfumes fortes. Não são bom sinal.

46) Transpirar naturalmente - Não exagere com os desodorantes. O suor natural é importante para eliminar toxinas. Desodorantes supostamente “modernos”, à base de cloridato de alumínio, formaldeído e amônia, bloqueiam os poros da pele e fazem mal à saúde. Talcos neutros como o polvilho antisséptico “Granado” relativamente são inofensivos à pele e necessitam uso menos freqüente.

47) Recusar produtos descartáveis - Acelere a evolução do mercado consumidor brasileiro em direção a uma atitude de respeito para com o meio ambiente. Evite comprar produtos descartáveis, ou que vêm envoltos em enormes embalagens.

48) Colocar as mãos na terra - Se você tem um pedaço de terra no quintal, ou tem pátio grande, ou uma chácara, faça uma horta. Até em vasos, em um apartamento, se houver sol, você pode plantar. Plante alface, couve, chuchu, tomate, espinafre, cenoura. Plantar é uma das melhores higienes mentais possíveis. E na hora de comer, você terá certeza de que está livre de venenos.

49) Evitar o uso de amianto - Evite quando possível o amianto, seja em telhas, reservatórios de água ou qualquer outro produto. O amianto desprende microfibras que são inaladas na respiração, e podem provocar graves doenças respiratórias. O produto já foi proibido na Alemanha e outros países. Também é nocivo ao meio ambiente e à saúde dos trabalhadores que o produzem.

50) Preferir alimentos integrais - Deixe de lado a farinha, o açúcar, o sal e outros alimentos refinados. Na sua fabricação são usados branqueadores e substâncias artificiais que podem até liberar dioxina, enquanto suas fibras e características naturais se perdem no processo. Prefira farinha, arroz e pão integrais e coma sal marinho.

51) Dar folga para seu bolso - Compre só o necessário. Vivemos em um mundo de falsas necessidades, criadas artificialmente. Saia fora do círculo vicioso de consumo-pelo-consumo, responsável por tanta destruição ambiental, tanta exaltação do egoísmo. Uma atitude mais reservada em relação à compulsividade consumidora pode, literalmente, dar lucro a você.

52) Participar do movimento ecológico - Deve haver uma entidade ecologista em sua cidade. Certamente há muitas delas em seu Estado. Associe-se. Participe das reuniões.

53) Ganhar tempo no ônibus - Ir de carro aos lugares onde isto não é indispensável e constitui uma perda de tempo. Se der preferência ao ônibus ou metrô, você pode ir lendo ou estudando, porque o tempo da viagem é útil. Se a distância for pequena, há a possibilidade de caminhar ou ir de bicicleta.

54) Ser um cidadão atuante - Tenha à mão os telefones da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de sua cidade e da entidade ecológica mais próxima. Denuncie qualquer irregularidade da qual venha a saber, dando seu nome e endereço para confirmação da denúncia. Sempre que possível, participe de ações concretas em defesa do meio ambiente.

55) Fazer passeios pela natureza - Ninguém pode amar ou defender o que não conhece. Deixe de lado a tensão do trabalho urbano e visite os lugares da natureza. Esvazie-se da pressa e aprenda a perceber a música e a harmonia presentes no silêncio da natureza.

56) Conscientizar filhos, sobrinhos ou irmãos menores - Converse sobre a questão da defesa ambiental com seus familiares. Se você é adolescente, pode ajudar seus amigos ou irmãos menores a perceber um sentido mais amplo na vida. É útil questionar toda a rotina diária a partir do ponto de vista da qualidade de vida.

57) Evitar bebidas fortes - Caipirinhas, vinhos e outras bebidas alcoólicas são uma violência contra o organismo humano. Se não puder renunciar totalmente ao uso do álcool, opte por uma cerveja gelada em doses homeopáticas. Evite o pileque como meio de transcender a sua consciência média da realidade. Se quiser transcender, decida-se pela meditação, leia sobre ioga. É bem melhor do que destruir o sistema nervoso com bebidas alcoólicas.

58) Evitar o excesso de sol na piscina ou praia - Entre 10h e 15h30 o perigo é maior. Os índices de câncer de pele no Brasil são preocupantes.

59) Repelentes naturais - Evite os repelentes químicos contra insetos como o mosquito e o borrachudo. Prefira o óleo de bergamota e outros produtos inofensivos à saúde humana e ao meio ambiente que podem ser encontrados em lojas naturais. Em caso de emergência, o antigo sistema do tapa ainda funciona. Colocar telas nas janelas e portas da casa e usar mosquiteiro também constituem providências sensatas.

60) Ao dirigir, evite altas velocidades - Altas velocidades não são apenas perigosas para você e para os outros, mas prejudicam todo o meio ambiente. Dirigindo a 112 km/h - por exemplo - você gasta 25% mais combustível do que viajando a 88 km/h. Andando mais devagar, você economiza dinheiro e polui menos.

61) Evitar a causa das dores de cabeça (e de outros males) - De cada dez casos de dor de cabeça, nove são resultado de tensão, inclusive ansiedade, depressão, preocupação e problemas emocionais semelhantes. Tomar comprimidos é uma falsa solução. Beba um chá de camomila. Sente-se calmamente, espinha dorsal ereta, pés firmemente apoiados no solo, imagine a energia que está concentrada na cabeça dissolvendo-se e distribuindo-se calmamente. Relaxe. Faça exercícios físicos moderadamente, pensando definidamente em algo agradável. Revise, examine e elimine um a um os fatores tensionantes de sua vida diária.

62) Seja sério, mas sorria - O bom humor e o riso contribuem para nos manter relaxados e evitar tensões ou doenças. Fale sobre seus problemas com amigos confiáveis. Desabafar com gente amiga é uma maneira de evitar que os problemas ganhem importância exagerada. Quando falamos dos problemas, eles desinflam.

63) Manter contato com o(s) político(s) em quem você votou nas últimas eleições - Seja vigilante. Acompanhe as ações do vereador, prefeito e deputado a quem deu seu voto. Pressione para que eles se posicionem corretamente nas questões ambientais e de qualidade de vida.

64) Estimular o uso de energia natural renovável. Na sua empresa ou âmbito de atuação, leve em conta o fato de que a energia solar e a energia eólica são exemplos de alternativas cada vez mais valorizadas.

65) Verificar a destinação final de resíduos sólidos. Onde vai o lixo da sua empresa, prédio ou comunidade? O que se pode reutilizar? O que se pode reciclar? Como eliminar o desperdício?

66) Usar roupas e sapatos até o final. Se você compreende a idéia da simplicidade voluntária, então você provavelmente não consegue compreender por que há tamanha obsessão atualmente com a moda e a chamada “elegância pessoal”. Nesse caso, não se preocupe. Você está em boa companhia. Todas as religiões e filosofias condenam a superficialidade e a vaidade e ensinam há muito tempo que “quem vê cara não vê coração”. Como se isso fosse pouco, a revista Biosofia, de Lisboa, publicou uma pequena história sobre Albert Einstein:
“Antes e depois de se ter tornado conhecido, Einstein sempre foi muito descuidado com seu vestuário e aparência. Certo dia, em Ulm – sua terra natal – cruzou com um amigo que lhe fez notar, com todo tato e muito carinhosamente, que a sua indumentária talvez não estivesse muito alinhada...
‘Não tem importância’, disse Einstein. ‘Aqui todos me conhecem!’
Anos depois, outro amigo encontrou-o nas ruas de Nova Iorque vestindo um sobretudo todo “surrado”. Preocupado, segredou-lhe: ‘Meu amigo, por favor, não ande vestido assim. Não é adequado para uma pessoa do seu nível!’ E Einstein respondeu: ‘Não tem importância. Aqui ninguém me conhece!’ ”

67) Apoiar cooperativas e outras iniciativas da economia solidária. Junte-se a ações comunitárias em que pessoas livres se organizam para produzir com base na ajuda mútua. Essa é a grande alternativa para a construção de cidades que sejam socialmente justas e economicamente eficazes. Nas cooperativas, os trabalhadores estabelecem novas relações de produção e passam a ser donos do seu próprio trabalho.

68) Buscar soluções novas. Valorize o passado, mas não fique preso a ele. Aceite o novo e o desconhecido. Certa vez, o sábio Nasrudin procurava desesperado alguma coisa no chão, à noite, sob o poste de luz. “O que foi que você perdeu?” , perguntou um amigo. “A chave da minha casa”. O amigo de Nasrudin ajoelhou-se e começou a ajudá-lo a procurar. Mas pouco depois perguntou: “Onde foi, exatamente, que você perdeu sua chave?” Nasrudin apontou para um lugar distante: “Foi lá”. “Mas, então, por que você está procurando aqui, junto à porta da sua casa?” – perguntou o amigo, estupefato. E Nasrudin explicou: “Porque aqui o terreno está iluminado pela luz do poste. Lá onde perdi a chave, eu não enxergo nada!”. Assim também nós, em geral, evitamos procurar as coisas que necessitamos onde elas realmente estão. Muitas vezes preferimos buscá-las apenas dentro do terreno da rotina dos nossos velhos pensamentos. São João da Cruz escreveu: “Para chegares ao que não sabes, hás de ir por onde não sabes”.

69)Cultivar a calma. Evite o excesso de tensão ou ansiedade. Mantenha um ritmo natural. Perceba o silêncio entre um pensamento e outro e ouça seu coração. Tenha consciência da ação do vento sobre as folhas das árvores mais próximas a você.

70) Fazer, de tempos em tempos, uma auto-avaliação - Verifique calmamente o grau de coerência que você já atingiu na vivência de seu ideal ecológico, e também em outros aspectos da sua vida. Contente-se com a realidade, e veja como pode melhorar sem alimentar conflitos desnecessários consigo mesmo. Identifique de que modo pode continuar auto-aperfeiçoando-se com tranqüilidade, e ser cada vez mais sábio na arte de viver.

Acrescente agora aqueles itens que são importantes para você mas que não constam nesta lista, e defina algumas metas pessoais para o futuro próximo.




Algumas das fontes:

Design For a Livable Planet, de John Naar, Harper & Row, Publishers, Nova Iorque, EUA, 1990 · The Young Person’s Guide to Saving the Planet, Debbie Silver & Bernadette Vallely, Ed. Virago, Londres, 1990 · 330 Dicas de Atitudes para Contribuir com a Saúde do nosso Planeta Terra, o Coração Ainda Bate, um guia de conservação ambiental, Fundação Biodiversitas, Ed Tchê!, RS, 1990 · 1001 Ways to Save the Planet, Bernadette Vallely, Penguin Books, Londres, 1990.



Site:
http://www.filoterapia.com/redirect.php?ler=21

Imagem:
www.gardeningnews.ca/item_articles.php?conten...


Obs.:

Os grifos, no texto, são meus.



Mestra Kwan Yin



- Kwan Yin (Kuan Yin) -


"Na mitologia chinesa, Kuan Yin é conhecida como a Deusa da Compaixão e da Misericórdia. Ela existiu como pessoa, igual a todos nós e somente depois de sua morte foi transformada em Deusa.
Também conhecida como Quan'Am (no Vietnã), Kannon (no Japão), e Kanin (em Bali). Ela cobre as planícies alagadas do Oriente, do Egito à China. E é venerada em todo o mundo por milhões de pessoas, que a consideram o símbolo máximo da pureza espiritual.

Esta Deusa enquanto viveu, percorreu o mundo, viu muita dor e então, jurou proteger e amparar todos os humanos até que o último sofrimento acabe.

(...)

Kuan Yin, cujo nome significa "aquela que ouve os lamentos do mundo" é boddhisatva da Compaixão no budismo chinês. Ela vive em uma ilha paradisíaca de P'u T'o Shan, onde ouve todas nossas preces. Todos que trabalham com sua energia, sabem o quanto ela é doce e sutil, mas também o quanto é poderosa. Somente a menção de Seu Nome alivia o sofrimento e as dificuldades. Mesmo tendo alcançado a iluminação, Ela optou por permanecer no mundo dos homens.

(...)

Exatamente igual a Ártemis, Kuan Yin é uma deusa virgem que protege
todas as mulheres e crianças.

A simplicidade que esta Deusa da Clemência gera ao seu redor e entre seus devotos, é de um forte sentimento de fraternidade universal.

Seus padrões morais e humanos tendem a nos conduzir para nos tornarmos mais compassivos e misericordiosos.

Kuan Yin aparece nas nossas vidas para dizer que está na hora de alimentarmos nossos corações com a compaixão. Compaixão pelos outros e também por nós mesmos.

Você se importa pelos sentimentos dos outros? Ou não se interessa? O que lhe afasta da compaixão? Você é daquelas pessoas que fere antes de ser ferida?
Tem medo de abrir seu coração?

Compreende-se por compaixão a capacidade de ouvir, de dar aos outros e a si mesma um espaço para experimentar tudo que deve ser experimentado e sentido.

Não fuja de seus sentimentos, a jornada da vida nos presenteia com inúmeras vivências, que devem ser degustadas nos fazendo desenvolver a compaixão por nós mesmos, assim como pelos outros. De tal modo, esta maneira, fácil e confortável de pensar, levará o mundo lentamente, mas inevitavelmente, a se tornar um lugar melhor".




Fonte:
http://www.rosanevolpatto.trd.br/deusakuanyin.html

Imagem: Internet


domingo, 13 de dezembro de 2009

A Antiguidade e a Modernidade da Árvore de Natal (Antroposofia)



"De onde vem a idéia de enfeitar o pinheiro com luzes e esferas vermelhas?

Como era uma árvore de Natal antigamente?

O resgate do significado das tradições é algo fundamental, uma vez que um sentido maior pode ser revivido a cada ano; uma renovação rítmica a cada solstício de inverno no hemisfério norte é comemorada desde os tempos pré-cristãos.

O solstício de inverno significa o dia do ano com maior tempo de escuridão e menor tempo de luz, ou seja, dia 23 de dezembro, e desde tempos antigos esse dia foi consagrado como um dia especial, quando a luz interior, uma luz especial deveria ser acesa no interior do ser humano, no dia de menor luz exterior.

Segundo o filósofo Rudolf Steiner (1861- 1925), a árvore de Natal corresponde a uma fusão de duas árvores, ou melhor, de duas famílias botânicas: uma conífera, especialmente o pinheiro, e uma rosácea, especialmente a macieira e a roseira.

As coníferas correspondem às árvores mais antigas de nosso planeta. Ainda antes dos dinossauros, no período geológico carbonífero, existiam essas árvores de sementes nuas (as pinhas), literalmente gimnospermas, representando até hoje as árvores de maior longevidade. Exemplos impressionantes são a sequóia californiana, de 3.212 anos, e o Pinus aristata, de 4.600 anos.

Essas árvores significam vida, representam a ÁRVORE DA VIDA.

As rosáceas, bem mais recentes, já no período terciário dos mamíferos gigantes, correspondem às angiospermas modernas. Essa família se caracteriza, por um lado, pela sua enorme dureza e formação de acúleos e espinhos; por outro, pela sua intensa formação nas estrelas, além de ser também um pentagrama.

A maçã, cujo receptáculo da flor tornou carnuda e perfumada, mantendo consistência firme, na Antiguidade assumiu a representação da esfera terrestre, generosa, altruísta, para alimentar outras formas de vida.

A macieira representou tanto o desenvolvimento humano que seu nome em latim é Mali, a ÁRVORE DO CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL.

Integrar a ÁRVORE DA VIDA com a ÁRVORE DO CONHECIMENTO – eis o significado da ÁRVORE DE NATAL.

No início da era cristã, a árvore de Natal recebeu sua orientação final, uma vez que hoje ela parece desorientada nos shopping centers das grandes cidades.

A receita tradicional para montar uma árvore de Natal é:
um pinheiro (ou parte dele), 33 maçãs, 33 rosas (30 vermelhas e 3 brancas), 33 velas com seus suportes e os símbolos dos planetas. Idealmente, ela é enfeitada na véspera, coberta com um véu. Na noite de Natal, o véu é retirado, as 33 velas são acesas na luz apagada e se comemora o Natal à luz de velas.

Um ambiente maravilhoso se cria ao redor dessa árvore cheia de significados. Os 33 frutos das rosáceas e as 33 velas representam os 33 anos de vida de Jesus Cristo, sendo que as três rosas brancas, colocadas no alto da árvore, correspondem aos três últimos anos após o batismo, anos de intenso desenvolvimento humano. Os planetas significam a ponte entre a Terra e o Cosmo.

A modernidade da árvore de Natal se esconde em seu maior significado, ou seja, a busca da integração de um estilo de vida que una a VIDA (alimentação, atividade física, vida social, lazer) com o CONHECIMENTO (vida estudantil, vida profissional, responsabilidades) num ritmo que integre o profano e o sagrado a cada dia".


FELIZ NATAL!!!




Autoria: *Ricardo Ghelman
http://www.weleda.com.br/periodicos/dezembro05/pag3.asp

Imagem:
passoapassoartesanatofeitoamao.blogspot.com/2...


*Médico Antroposófico e de Família


Obs.: Os grifos (no texto) são meus.


sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Os Ensinamentos Graduais do Sofrimento



- Flor de Lotus -


"Quando o sofrimento surge sentimos pânico e medo. Apavorados queremos esconder-nos. Queremos galgar até um ponto elevado, para escapar à desagregação dessa maré ácida. No entanto, o estranho é que quanto mais resistimos, por mais tempo ela permanece. Quanto mais intensamente nos empenhamos em sair do território da dor, mais firmemente ficamos ali fixados. Quando se está sofrendo, é difícil ser delicado consigo mesmo.

A delicadeza ajuda-nos a parar de resistir à dor que nos está visitando. Quando paramos de resistir ao sofrimento, algo mais começa a acontecer. Começamos lentamente a permitir que o sofrimento siga sua propria lógica.

A suposição é de que o sofrimento não nos visita gratuitamente. No sofrimento existe uma luz oculta obscurecida. O destino tem uma perspectiva sobre nós e nossa trilha que nunca conseguimos entrever totalmente. Somente o destino sabe porque o sofrimento surge.

O sofrimento tem seu próprio raciocínio. Ele que nos ensinar algo.

Quando cessamos de resistir à sua obra sombria, ficamos suscetíveis de saber o que ele desja revelar-nos. Com frequência, aprendemos mais profundamente e recebemos mais intensamente da negra e desolada maré de dor.

Verificamos frequentemente, na Natureza, como a poda fortalece. Depois de serem podadas as árvores frutíferas parecem muito feridas, porém a limitação produzida pelo corte obriga a árvore a se expandir e florescer. (...) Wordsworth afirma que 'o sofrimento (...) compartilha a natureza do infinito'.

É triste admitir que, com frequência, só o sofrimento pode ensinar-nos determinadas coisas. Existe uma beleza sutil no rosto daqueles que sofreram. A luz que o sofrimento deixa é preciosa.

(...) A maneira como encaramos a dor é absolutamente vital para sua integração e transfiguração.
Quando começamos a perceber como ela pode ser criativa no mundo oculto, isso pode ajudar a esclarecer a percepção do objetivo e significado. Gradativamente, a nossa percepção do seu significado mais profundo começa a revelar a dignidade encoberta do sofrimento.




Autoria: John O'Donohue
Livro: Ecos Eternos

Imagem: by superficiedaalma
http://media.photobucket.com/image/flor%20de%20lotus/superficiedaalma/DSC02021.jpg



terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A Consciência de Massa



”Uma das verdades mais fundamentais - e no entanto mais difíceis de compreender - é a de que as pessoas vivem todas em diferentes níveis de consciência. Não se assimila esse Ensinamento nas suas mais profundas implicações apenas lendo ou pensando sobre ele; há que observar a maneira como as pessoas agem, pensam, falam, sentem, reagem, vivem. O que lhes ocupa o pensamento. Como usam o tempo. O que as preocupa. Os objectivos que têm na vida. Aquilo de que falam. E então torna-se evidente que todas vivem em diferentes níveis de consciência e, até, o nível de consciência em que vivem.


A grande maioria da Humanidade vive num nível biológico-social instintivo. Nesse nível, as pessoas são condicionadas pelos valores vigentes e pela mentalidade comum. As suas identidades são uma mera extensão das normas, crenças, costumes e tabus da sociedade em que nasceram. Vivem polarizadas na sobrevivência e, se possível, na acumulação de dinheiro, poder e estatuto. No mínimo, precisam de um emprego seguro e um parceiro para acasalar e reproduzir-se. Odeiam a solidão.


Não têm ideias ou pensamentos originais; falam do que toda a gente fala, têm as opiniões que os meios de comunicação, os líderes de opinião e o status quo querem que tenham. Lêem jornais desportivos e revistas sobre programas de televisão, falam sobre pessoas e acontecimentos triviais do dia-a-dia. Gostariam que o mundo mudasse mas não começam por si próprios. Não questionam o que lhes é dito; se os seus líderes lhes dizem que os afegãos são maus e os astrólogos mentirosos, então os afegãos são maus e os astrólogos mentirosos. Assim, bovinamente, sem sequer investigarem o assunto. Consomem bens e serviços de que não precisam de facto e cujo único valor é o próprio acto de serem adquiridos e o estatuto que lhes está associado - na ilusão de que serão mais no dia em que tiverem mais. Vivem vidas inteiras repetindo os mesmos padrões mentais e emocionais, submersos na sua própria subjectividade e incapazes de se verem objectivamente. Não fazem ideia do que são "energias", "arquétipos" ou "padrões". Não fazem ideia de que a vida é um processo de crescimento e desenvolvimento pessoal e não uma luta pela sobrevivência.


São os autómatos de que o sistema precisa para assegurar a sua reprodução e a manutenção das suas próprias estruturas. Constituem a "consciência da massa". Libertarmo-nos da consciência da massa tem um preço muito alto. Porque os valores da sociedade são redutores, mas dão segurança - a mesma segurança que um rebanho dá a uma ovelha. Evoluir para outro nível de consciência implica questionar e pensar por si mesmo; implica ser incompreendido e ridicularizado por quem não vê mais longe. Implica conviver com as conversas ocas, mecânicas, de quem nos rodeia. Implica ser livre. E a sociedade não gosta de indivíduos livres, porque são uma falha no sistema e um mau exemplo para os autómatos - e esses é que fazem falta, para que tudo isto funcione..."




Autoria: Nuno Michaels
Imagem: Magritte


Fonte:
http://saberdesi.blogspot.com/


domingo, 6 de dezembro de 2009

BEETHOVEN: O Compositor que Rompia Barreiras

Beethoven at the age of 49 (at this time he was already completely deaf).
He is shown working on the score of Missa Solemnis.



"Ludwig van Beethoven nasceu em Bonn, na Alemanha, provavelmente em 16 de dezembro de 1770 (já que seu batismo data de 17 de dezembro e era o costume da época batizar as crianças logo após o nascimento).

Foi compositor erudito na época de transição do Classicismo para o Romantismo. Muitos críticos o consideram o maior compositor do século XIX, enquanto outros o consideram um dos poucos que merecem o adjetivo de “gênio”.

Neto e filho de músicos, Ludwig recebeu do pai, Johann van Beethoven, as primeiras lições. Seu avô descendia de belgas, donde herdou o van no nome, que diferentemente do von alemão, não representava um distinção de nobreza. Seu pai era tenor na corte de Colônia, onde lecionava; sofria de alcoolismo e costumava ser bastante exigente com a formação musical do filho, que sempre revelou extraordinário talento neste campo, sendo considerado um menino prodígio já aos 12 anos.

A mãe de Ludwig, Maria Madalena Keverich (1746-1787), era viúva quando se casou com Johann, e já havia tido um filho que morrera pouco tempo depois de nascer. A família de Beethoven passou por dolorosas situações. Dos 7 filhos que tiveram, apenas 3 sobreviveram.
Mas é impressionante observar como a natureza, através de um família aberta à vida, é capaz de surpreender maravilhosamente a humanidade através de exemplos reais.

Num conhecido diálogo entre Jerôme Lejeune, um dos maiores geneticistas do século XX, descobridor da Síndrome de Down e defensor da vida, com o médico abortista Monod durante um debate pela televisão, o prof. Lejeune perguntou:

Lejeune: 'Sabendo-se que um pai sifilítico, e uma mãe tuberculosa tiveram quatro filhos: o primeiro, cego de nascença; o segundo, morto logo após o parto; o terceiro, surdo-mudo; o quarto, tuberculoso, e que a mãe ficou grávida de um quinto filho, o que o senhor faria?”
Monod: “Eu interromperia essa gestação'.

Lejeune: 'Então o senhor teria matado Beethoven'.
Como nem Monod nem outro médico abortista estavam presentes na ocasião, Beethoven nasceu. No total, teve sete irmãos, cinco deles faleceram já na infância. Dos filhos vivos, Beethoven foi o primeiro, Caspar o segundo e Nicolaus o terceiro.

Com 9 anos de idade, Beethoven foi confiado ao organista Christian Gottlob Neefe. Compôs suas primeiras peças aos 11 anos. Em 1784, era já o segundo organista da capela do Eleitor. Pouco depois, era o violetista da orquestra da corte.

Em 1787, foi enviado para Viena para estudar um tempo com Mozart, que já estava enfermo, mas teve de voltar a Bonn devido à morte de sua mãe. Com o pai em estado de alcoolismo agudo e com a morte do irmão, passou a ser tutor de seu sobrinho.

Em 1792, muda-se definitivamente para Viena, onde continua seus estudos com Franz Josef Haydn . Durante os anos 90 (do século XVIII), consolida sua reputação como pianista e compõe suas primeiras obras:

Três Sonatas para piano Op.2 (1795)
Concerto para Piano No.1 em Dó maior Op.15 (1795)
Sonata No.8 em Dó menor Op.13 [Sonata Patética] (1798)
Seis Quartetos de cordas Op.18 (1800).


Em 1801, Beethoven diz que não está satisfeito com o que compôs até aquele o momento e decide seguir um “novo caminho”. Dois anos depois é possível apreciar o resultado deste “novo caminho”: Sinfonia No.3 em Mi bemol maior Op.55 [Eroica] é obra sem precedentes na música sinfônica e marca o início do período Romântico na Música Erudita.

Os primeiros sinais de surdez surgiram antes que Beethoven completasse 30 anos. Foi extremamente difícil para ele, homem de temperamento forte, aceitar esta situação:
"Era-me impossível dizer às pessoas: 'fale mais alto, grite, porque sou surdo'. Como eu podia confessar uma deficiência do sentido que em mim deveria ser mais perfeito que nos outros, um sentido que eu antes possuía na mais alta perfeição?", escreveu a seus irmãos.

Tentou diferentes tratamentos, todavia nenhum deles fez efeito. O desespero e a depressão foram tomando conta de Beethoven, que chegou a considerar a possibilidade de suicidar-se.

Felizmente conseguiu reagir e, usando suas próprias palavras, "agarrar o destino pela garganta".
Enfrentando a surdez progressiva, Beethoven lecionava piano, vendia suas partituras e dava concertos para sustentar-se. Era ele também o responsável pelo sustento dos seus dois irmãos.

Estes anos foram os mais ricos em quantidade de obras compostas. Somente a partir de 1 809 começa a ser ajudado por três aristocratas vienenses (o Arquiduque Rudolph, o Príncipes Kinsky e o Príncipe Lobkowitz).

Beethoven ficou totalmente impossibilitado de ouvir aos 46 anos. Em completa surdez compôs ainda 44 obras musicais. Ele não é o único músico que compôs estando 100% surdo, porém é o caso mais conhecido, principalmente pela qualidade de seu trabalho.

A surdez possibilitou que Beethoven se tornasse mais introspectivo, profundo, contemplativo e livre das convenções musicais. Cria, então, algumas de suas maiores obras:

Sonata No.29 em Si bemol maior op.106 [Hammerklavier] (1818)
Sonata No.30 em Mi maior Op.109
Sonata No.31 em Lá bemol maior Op.110 (1822)
Sonata No.32 em Dó menor Op.111 (1822)
Variações Diabelli Op.120 (1823)
Missa Solemnis Op.123 (1823)


Em 1824 é executada pela primeira vez a sinfonia que muitos consideram a obra-prima de Beethoven: Sinfonia No.9 em Ré menor Op.125.

O texto provém do poema de Schiller, “Ode à Alegria”, adaptado pelo próprio Beethoven. Um coral é inserido em certo movimento da sinfonia, algo inédito na música até então.

A Nona sinfonia de Beethoven é uma das músicas mais conhecidas e tocadas no mundo, já foi incluída na trilha sonora de diversos filmes. Outra composição muito famosa de Beethoven, que se popularizou, é a Quinta sinfonia : nos anos 70, sua versão eletrônica virou sucesso nas discotecas e, anos depois, foi usada em propaganda para vender lâminas de barbear ("tchan, tchan, tchan, tchan").

Em 1825, Beethoven compareceu ao ensaio fechado de um grupo que executaria o seu Quarteto em mi bemol maior op. 127. De modo surpreendente, chamou a atenção dos músicos para os menores erros na execução. "Seus olhos seguiam os arcos, e assim ele era capaz de notar as menores flutuações no tempo ou no ritmo, e corrigi-las na hora", afirmou um dos violinistas, Joseph Böhn.

Os últimos anos de Beethoven foram em grande parte dedicados à composição de quartetos de cordas, tendo por resultado obras consideradas visionárias, como:

Quarteto em Mi bemol maior Op.127 (1825)
Quarteto em Lá menor Op.132 (1825)
Quarteto em Si bemol maior Op.130 (1826)
Grande Fuga Op.133 (1826)
Quarteto em Dó sustenido menor Op.131 (1826)
Quarteto em Fá maior Op.135 (1826).


Ludwig van Beethoven faleceu de cirrose hepática, após contrair pneumonia. Era 26 de março de 1827. Nesta época estava trabalhando no que seria a sua Décima Sinfonia. Cerca de 10 mil pessoas foram aos seus funerais, entre elas Franz Schubert.

É inegável a influência que Beethoven exerceu na história da música. Tendo enfrentado significativas dificuldades tanto na sua carreira como na sua vida pessoal e familiar, disse certa vez: 'Parecia-me impossível deixar o mundo antes de ter dado a ele tudo o que ainda germinava em mim'. O mundo agradece".



Autoria: Danielle Marangon Jung
http://www.portaldafamilia.org/artigos/artigo444.shtml

Imagem:
www.musicwithease.com/beethoven-pictures.html


* Danielle Marangon Jung é editora do blog
Boas Notícias Hoje - http://boasnoticiashoje.zip.net


Fontes de pesquisa:
http://musicaclassica.folha.com.br/cds/03/biografia.html
http://wmarques.sites.uol.com.br/beethoven.htm
http://musicaclassica.folha.com.br/cds/03/curiosidades.html
www.febnet.org.br/file/837.pdf
http://pt.wikipedia.org/wiki/Beethoven



sábado, 5 de dezembro de 2009

Misterioso Cartão de Natal



O Natal é a festa das crianças e da divina Criança que se esconde dentro de cada adulto. É altamente inspiradora a crença de que Deus se acercou dos seres humanos
na forma de uma criança.

Assim ninguém pode alegar que Ele é apenas um mistério insondável, fascinante por um lado e aterrador por outro. Não. Ele se aproximou de nós na fragilidade de um recém-nascido que choraminga de frio e que busca, faminto, o seio materno.

Precisamos respeitar e amar esta forma como Deus quis entrar no nosso mundo. Pelos fundos, numa gruta de animais, numa noite escura e cheia de neve "porque não havia lugar para ele nas pousadinhas de Belém".

Mais consoladora é ainda a ideia de que seremos julgados por uma criança e não
por um juiz severo e esquadrinhador.

Criança quer brincar. Ela se enturma imediatamente com todas as outras, pobres, ricas, japonesas, negras e loiras. É a inocência originária que ainda não conheceu
as malícias da vida adulta.

A divina Criança nos introduzirá na dança celeste e no festim que a família divina do Pai, do Filho e do Espírito Santo prepara para todos os seus filhos e as suas filhas, não excluídos aqueles que, um dia, foram desgarrados.

Estava refletindo sobre esta realidade bem-aventurada quando um anjo, daqueles que cantaram aos pastores nos campos de Belém, se aproximou espiritualmente e me entregou um cartãozinho de Natal. De quem seria?

Comecei a ler. Nele se dizia:
"Queridos irmãozinhos e irmãzinhas:

Se vocês ao olharem o presépio e ao verem lá o Menino Jesus no meio de Maria e de José e junto do boi e do jumento, se encherem de fé de que Deus se fez criança, como qualquer um de vocês;
Se vocês conseguirem ver nos outros meninos e meninas a presença inefável do Menino Jesus que uma vez nascido em Belém, nunca nos deixou sozinhos neste mundo;

Se vocês forem capazes de fazer renascer a criança escondida nos seus pais, nos seus tios e tias e nas outras pessoas que vocês conhecem para que surja nelas o amor, a ternura, o cuidado com todo mundo, também com a natureza;

Se vocês, ao olharem para o presépio, descobrirem Jesus pobremente vestido, quase nuzinho e lembrarem de tantas crianças igualmente mal vestidas e se sofrerem no fundo do coração por esta situação e se puderem dividir o que vocês têm de sobra e desejarem já agora mudar este estado de coisas;

Se vocês, ao verem a vaquinha, o burrinho, as ovelhas, os cabritos, os cães, os camelos e o elefante no presépio e pensarem que o universo inteiro é também iluminado pela divina Criança e que todos eles fazem parte da grande Casa de Deus;

Se vocês olharem para o alto e virem a estrela com sua cauda luminosa e recordarem que sempre há uma estrela como a de Belém sobre vocês, acompanho-os, iluminando-os, mostrando-lhes os melhores caminhos;

Se vocês se lembrarem que os reis magos, vindos de terras distantes, eram, na verdade, sábios e que ainda hoje representam os cientistas e os mestres que conseguem ver nesta Criança o sentido secreto da vida e do universo;

Se vocês pensaram que esse Menino é simultaneamente homem e Deus e por ser homem é seu irmão e por ser Deus existe uma porção Deus em vocês e por causa disso, se encherem de alegria e de legítimo orgulho;

Se pensarem tudo isso então fiquem sabendo que eu estou nascendo de novo e renovando o Natal entre vocês. Estarei sempre perto, caminhando com vocês, chorando com vocês e brincando com vocês até aquele dia em que chegaremos todos, humanidade e universo, na Casa de Deus que é Pai e Mãe de infinita bondade, para morarmos sempre juntos e sermos eternamente felizes".


Belém, 25 de dezembro do ano 1.
Assinado: Menino Jesus



Autoria: *Leonardo Boff
http://www.adital.com.br/site/noticia.asp?lang=PT&cod=36528

Imagem:
www.dzai.com.br/blog/blogdaconceicao?tv_pos_i...



* Teólogo, filósofo e escritor


sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Perda de Energia Pessoal --- Características e Prevenção

- Child with fancy hat smelling a toy flower -



"A perda de energia pessoal pode ser manifestada de várias formas, tais como:

• falha de memória (o famoso "branco")
• cansaço físico
• o sono deixa se ser reparador
• ocorrência de doenças degenerativas e psicossomáticas
• quando um sofá confortável diante da TV se torna mais convidativo do que outras atividades, como sexo, por exemplo, diminui a velocidade das atividades
• os projetos são "aposentados" para economizar energia
• o crescimento pessoal, a prosperidade e a satisfação diminuem
• os talentos não se manifestam mais por falta de energia
• o magnetismo pessoal desaparece
• medo constante de que o outro o prejudique, aumentando a competição, o individualismo e a agressividade
• falta proteção contra as energias negativas e aumenta o risco de sofrer com o "vampiro energético."



"A terapeuta holística Vera Caballero elaborou uma lista de atitudes pessoais capazes de esgotar as nossas energias. Conhecendo cada dessas ações para evitar a "crise energética pessoal". Veja:


1- Maus hábitos e falta de cuidado com o corpo:
Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.


2- Pensamentos obsessivos:
Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico.. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos -mal comum ao homem ocidental-, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.


3- Sentimentos tóxicos: Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.

4- Fugir do presente: As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: "bons tempos aqueles!", costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.


5- Falta de perdão:
Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica "energeticamente obeso", carregando fardos passados.


6- Mentira pessoal: Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e para não para sermos nós mesmos -a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.


7- Viver a vida do outro: Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos interpessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prêmio, nesse caso, é a frustração.


8- Bagunça e projetos inacabados:
A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro "escape" de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquela blusa de tricô que não concluiu, ela lhe "diz" inconscientemente: "você não me terminou! Você não me terminou!" Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude.O desenvolvimento do auto-conhecimento, da disciplina e da determinação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.


9 - Afastamento da natureza: A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o estresse das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais."



Fonte: Franco Guizzetti
http://levezadeser.googlepages.com/atitudeserradas

Imagem:
www.stockphotopro.com/.../Child_with_fancy_hat

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

VAMPIRISMO II --- Características dos "Vampiros" Energéticos



- Chama Trina -



"QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DELES? COMO COMBATÊ-LOS?


A) Vampiro Cobrador: Cobra sempre, de tudo e todos. Quando nos encontramos com ele, já vem cobrando o porque não lhe telefonamos ou visitamos. Se você vestir a carapuça e se sentir culpado, estará abrindo as portas. O melhor a fazer é usar de sua própria arma, ou seja, cobrar de volta e perguntar porque ele não liga ou aparece. Deixe-o confuso, não deixe ele retrucar e se retire rapidamente.

B) Vampiro Crítico: é aquele que crítica a tudo e a todos, e o pior que é só Critica Negativa e Destrutiva. Vê a vida somente pelo lado sombrio. A maledicência tende a criar na vítima um estado de alma escuro e pesado e abrirá sue sistema para que a energia seja sugada. Diga "não " a suas críticas. Nunca concorde com ele. A vida não é tão negra assim. Não entre nesta vibração. O melhor é cair fora e cortar até todo o tipo de contato.

C) Vampiro Adulador: é o famoso Puxa-saco. Adula o ego da vítima, cobrindo-a de lisonjas e elogios falsos, tentando seduzir pela adulação. Muito cuidado para não dar ouvidos ao adulador, pois ele simplesmente espera que o orgulho da vítima abra as portas da aura para sugar a energia.

D) Vampiro Reclamador: è aquele tipo que reclama de tudo, de todos, da vida do governo, do tempo, etc. Opõe-se a tudo, exige, reivindica, protesta sem parar. È o mais engraçado é que nem sempre dispõe de argumentos sólidos e válidos para justificar seus protestos. Melhor tática é deixa-lo falando sozinho.

E) Vampiro Inquiridor: Sua língua é uma metralhadora. Dispara perguntas sobre tudo, e não dá tempo para que a vítima responda pois já dispara mais uma rajada de perguntas. Na verdade ele não quer respostas e sim apenas desestabilizar o equilíbrio mental da vítima, perturbando seu fluxo normal de pensamentos. Para sair de suas garras, não ocupe sua mente à procura de respostas. Para cortar seu ataque, reaja fazendo-lhe uma pergunta bem pessoal e contundente, e procure se afastar assim que possível.

F) Vampiro Lamentoso: São os lamentadores profissionais, que anos a fio choram sua desgraças. Para sugar a energia da vítima, ataca pelo lado emocional e afetivo. Chora, lamenta-se e faz de tudo para despertar pena. É sempre o coitado, a vítima. Só há um jeito de tratar com este tipo de vampiro, é cortando suas asas . Corte suas lamentações dizendo que não gosta de queixas, ainda mais que não elas não resolvem situação alguma.

G) Vampiro Pegajoso: Investe contra as portas da sensualidade e sexualidade da vítima. Aproxima-se como se quisesse lambê-la com os olhos, com as mãos, com a língua. Parece um polvo querendo envolver a pessoa com seus tentáculos . Se você não escapar rápido, ele irá sugar sua energia em qualquer uma das possibilidades. Seja conseguindo seduzí-lo com seu jogo pegajoso, seja provocando náuseas e repulsa. Em ambos os casos você estará desestabilizado, e portanto, vulnerável..Saia o mais rápido possivel . Invente uma desculpa e fuja rapidamente.

H) Vampiro Grilo-Falante: A porta de entrada que ele quer arrombar é o seu ouvido. Fala, absoluto, durante horas, enquanto mantém a atenção da vítima ocupada, suga sua energia vital. Para livrar-se , invente uma desculpa, levante-se e vá embora.

I) Vampiro Hipocondríaco: Cada dia aparece com uma doença nova. Adora colecionar bula de remédios. Desse jeito chama a atenção dos outros , despertando preocupação e cuidados. Enquanto descreve os pormenores de seus males e conta seus infindáveis sofrimentos, rouba a energia do ouvinte, que depois sente-se péssimo.

J) Vampiro Encrenqueiro: para ele, o mundo é um campo de batalha onde as coisas só são resolvidas na base do tapa. Quer que a vítima compre a sua briga, provocando nela um estado raivoso, irado e agressivo. Esse é um dos métodos mais eficientes para desestabilizar a vítima e roubar-lhe a energia.Não dê campo para agressividade, procure manter a calma e corte laços com este vampiro".



Autoria: Vera Caballero

Imagem: Internet



VAMPIRISMO I --- Vampirismo Emocional – Significado





Todo o ser humano que procura no outro a energia psíquica e sexual necessária para alimentar
um ego imaturo e fantasista.

O seu “modus operandi” baseia-se na manipulação e na sedução.

São exímios em percepcionar fragilidades, servindo-se muitas vezes do dom da palavra, da omissão e da mentira para confundir a “presa”.

Ao vampiro move a conquista, mas, nem sempre a sua verdadeira motivação é do domínio consciente, e, em regra, não tem noção da sua estrutura psíquica perturbada.

A presa, por seu lado, sucumbe aos encantos do vampiro já que ele(a) é o espelho, numa primeira análise, de todos os seus anseios e expectativas.

Mais tarde, uma inexplicável quebra energética invade-lhe o ser e o sentimento de plenitude e de paixão inicialmente sentidos, dão lugar a uma implacável obsessão.

É tal a intensidade das energias em jogo, que a presa pode até sucumbir a pensamentos recorrentes de perda, e, não raro, de tentativa de suicídio.

Este sofrimento, pode assemelhar-se à imagem de uma mosca que tenta desenvencilhar-se
da mortal teia.

Aqueles que dela conseguem libertar-se jamais esquecerão a intensidade da experiência; invariavelmente, ela constituirá uma aprendizagem,
que pode vir a transformar decisivamente a sua existência.




Autoria: Fernando Barnabé
http://www.psicoastro.com/artigos/vampirismo-emocional-significado



terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Relacionamentos Prósperos



"Se estivermos cercadas de pessoas que reviram os olhos e olham para o teto demonstrando repulsa quando estamos por perto, quando falamos, agimos e reagimos, isso é um sinal de que estamos com pessoas que abafam as paixões — as nossas e provavelmente também as delas mesmas.Não são pessoas que liguem para nós, para nosso trabalho, para nossa vida.A mulher deve escolher seus amigos e companheiro com prudência."

"Um companheiro e amigo a considera como uma criatura viva em crescimento, (...)... um companheiro e amigos, apoiam a criatura que existe em você... são essas as pessoas por quem você está procurando. Elas serão amigas da sua alma pela vida afora."

"Ser boazinha, ser gentil e simpática não fará a vida florir."

"(...) ser nós mesmas faz com que nos isolemos de muitos outros e, entretanto, ceder aos desejos dos outros faz com que nos isolemos de nós mesmas."

"Temos força quando nos juntamos a outra pessoa.
Quando estamos juntos, não podemos ser quebrados."



Autoria: Clarissa P. Estés
Livro: Mulheres que correm com lobos

Fonte:
http://anapaulaferreri.blogspot.com/2008/09/clarissa-pinkola-estes.html


domingo, 29 de novembro de 2009

Declaração de Afeto


Recebi da minha amiga querida, Maria José do blog: "A Arca do Autoconhecimento".
Agradeço profundamente esta declaração, que retribuo com muito carinho.

Escolhemos dez amigos para declarar a nossa amizade e nomeamos num post.
Cada um deverá nomear até 10, e assim sucessivamente.
Não há selos ou prêmios, apenas a nossa declaração de afeto.

E a minha declaração sincera de afeto vai para:

Como são apenas 10, com certeza, muitos ficarão de fora, mas por exigência das regras do jogo.


São eles:
1. Tereza (Bliss 1000)
2. Jorge (Nectan Reflexões)
3. Norminha (Sem Fronteiras Para O sagrado)
4. Cida (Reiki Sahashara)
5. Claudinha (Transmimentos de Pensações)
6. Jeanne (Crescer dá Trabalho)
7. Luíza (Saber de Si)
8. Padma (Luz da Alma)
9. Lane (De Vez Em Quando Venho Aqui)
10. Sérgio Ricardo (Todo Seu)



Aqui vai, a minha declaração de afeto:

Vivencio com e através de vocês, meus queridos amigos, universos maravilhosos.
Universos, estes, onde aprendo muito. Neste, há o precioso compartilhar: do respeito, carinho, alegria, conhecimentos, pensamentos e experiências de vida.

Quanta diversidade em cada ser!

Quantas belezas expressas em cada post de cada blog!

Uma troca fantástica no dia-a-dia de nossas vidas!

Observo e contemplo cada um, como flores diversas de um jardim.
Cada uma com seu colorido, perfume, formato e tipos de cuidados.

Percebo como é imensa e infindável a diversidade humana...

Pessoas que já conhecia anteriormente,
pessoas que conheci a pouco tempo, mas todos meus amigos.

A cada visita uma alegria do encontro
e das palavras que complementam e enriquecem minha alma.

Por tudo isto e além disto tudo:
Meu afeto e gratidão a todos vocês e aos demais também!


Adelia Ester Maame Zimeo