terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A Consciência de Massa



”Uma das verdades mais fundamentais - e no entanto mais difíceis de compreender - é a de que as pessoas vivem todas em diferentes níveis de consciência. Não se assimila esse Ensinamento nas suas mais profundas implicações apenas lendo ou pensando sobre ele; há que observar a maneira como as pessoas agem, pensam, falam, sentem, reagem, vivem. O que lhes ocupa o pensamento. Como usam o tempo. O que as preocupa. Os objectivos que têm na vida. Aquilo de que falam. E então torna-se evidente que todas vivem em diferentes níveis de consciência e, até, o nível de consciência em que vivem.


A grande maioria da Humanidade vive num nível biológico-social instintivo. Nesse nível, as pessoas são condicionadas pelos valores vigentes e pela mentalidade comum. As suas identidades são uma mera extensão das normas, crenças, costumes e tabus da sociedade em que nasceram. Vivem polarizadas na sobrevivência e, se possível, na acumulação de dinheiro, poder e estatuto. No mínimo, precisam de um emprego seguro e um parceiro para acasalar e reproduzir-se. Odeiam a solidão.


Não têm ideias ou pensamentos originais; falam do que toda a gente fala, têm as opiniões que os meios de comunicação, os líderes de opinião e o status quo querem que tenham. Lêem jornais desportivos e revistas sobre programas de televisão, falam sobre pessoas e acontecimentos triviais do dia-a-dia. Gostariam que o mundo mudasse mas não começam por si próprios. Não questionam o que lhes é dito; se os seus líderes lhes dizem que os afegãos são maus e os astrólogos mentirosos, então os afegãos são maus e os astrólogos mentirosos. Assim, bovinamente, sem sequer investigarem o assunto. Consomem bens e serviços de que não precisam de facto e cujo único valor é o próprio acto de serem adquiridos e o estatuto que lhes está associado - na ilusão de que serão mais no dia em que tiverem mais. Vivem vidas inteiras repetindo os mesmos padrões mentais e emocionais, submersos na sua própria subjectividade e incapazes de se verem objectivamente. Não fazem ideia do que são "energias", "arquétipos" ou "padrões". Não fazem ideia de que a vida é um processo de crescimento e desenvolvimento pessoal e não uma luta pela sobrevivência.


São os autómatos de que o sistema precisa para assegurar a sua reprodução e a manutenção das suas próprias estruturas. Constituem a "consciência da massa". Libertarmo-nos da consciência da massa tem um preço muito alto. Porque os valores da sociedade são redutores, mas dão segurança - a mesma segurança que um rebanho dá a uma ovelha. Evoluir para outro nível de consciência implica questionar e pensar por si mesmo; implica ser incompreendido e ridicularizado por quem não vê mais longe. Implica conviver com as conversas ocas, mecânicas, de quem nos rodeia. Implica ser livre. E a sociedade não gosta de indivíduos livres, porque são uma falha no sistema e um mau exemplo para os autómatos - e esses é que fazem falta, para que tudo isto funcione..."




Autoria: Nuno Michaels
Imagem: Magritte


Fonte:
http://saberdesi.blogspot.com/


6 comentários:

Jorge disse...

Lia,

Mantenha um povo na ignorância porque assim terá domínio sobre ele.

Texto reflexivo, inclusive para se perguntar o que viemos fazer aqui, pois a maioria pensa que são conquistas de valores terrenas.

Lia, deixo um beijo com muito carinho e muita saudade. Apesar de tempos não te ver, a tua força interior está em mim.

Muita luz nesta chuva, meu Anjo!
Jorge

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Jorge Querido, você atingiu o cerne da situação: a alienação facilita a dominação. A disputa por valores externos de maneira tão desenfreada, causa um desequilíbrio tremendo nos seres. É incrível como a massificação é tão eficaz com os que se deixam levar. Estes lutam, sofrem, disputam desnecessariamente, pois não é pelo essencial da Vida que tanto se esforçam. Mas, ainda algumas luzes brilhantes fazem a diferença. Uma delas é você, meu tão querido amigo! Saiba que muito de você, está em mim também. E isto me deixa feliz. Beijo. Meu Afeto.

Jorge disse...

Lia

Tem um selo de Natal prá vc!!

beijo,
Jorge

Maria José disse...

Adélia. Este texto é importantíssimo. Bastante reflexivo. O nível de consciência das pessoas que habitam este planeta é diverso, chegando ao estado quase primitivo das eras antigas. Todos estamos em evolução. A oportunidade está ai para todos. No entanto, alguns estão preparadas para enxergar; outros não. Uns caminham para a frente, outros estacionam e, com certeza, vão ter que repetir a lição. Beijos, amiga, com muita saudade de você.

Anônimo disse...

A situação desta sociedade e patologica e desesperadora as vezes e dificil respirar!
Estamos em nova era e tudo e mais forte. Sua sensibilidade nos remete ao nosso melhor, afinal viemos da luz e voltaremos a ser luz.
Muito bom

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Anonimo, Que assim seja!