sexta-feira, 2 de outubro de 2009

CURE SUA VIDA! --- Louise Hay


"Quero lhe expor um dos mo­tivos que me fazem saber que as doenças podem ser vencidas com a simples troca de padrões mentais.
Anos atrás recebi um diagnóstico de câncer vaginal. Devido ao meu passado, que inclui um estupro aos cinco anos de idade e uma infância cheia de maus-tratos, não foi surpresa eu manifestar a terrível doença nessa parte do corpo. Como já era instrutora de cura mental há vários anos, tomei cons­ciência de que me estava sendo dada a oportunidade de pra­ticar e provar a verdade dos meus ensinamentos. Como qual­quer um que fica sabendo que está com câncer, de início entrei em pânico absoluto, mas logo ele foi substituído pela convicção de que o processo de cura mental funcionava. Consciente de que o câncer é provocado por um profundo ressentimento, guardado por um longo tempo até ele praticamente começar a comer o corpo, eu soube que teria muito trabalho mental à minha frente. Percebi que, se me submetesse a uma operação para me livrar da doença sem eliminar o padrão mental que a estava causando, o câncer voltaria. Quando esta ou qualquer outra doença reaparece, não é porque os médicos não "tiraram tudo", mas sim porque o paciente não modificou seu modo de pensar e continua recriando o mesmo mal. Também sabia que, se fosse capaz de eliminar por completo o modelo mental que criara a condição chamada "câncer", eu nem precisaria de ajuda profissional. Portanto, barganhei por mais tempo. Meu médico, a contragosto, me concedeu três meses, deixando bem claro que eu estava pondo a vida em perigo pela demora.
Imediatamente comecei a trabalhar com meu instrutor para eliminar velhos padrões de ressentimento. Até aquela época eu desconhecia que guardava dentro de mim um profundo rancor. Como somos cegos aos nossos modelos mentais!
Seria
preciso um longo exercício de perdão.
Outra coisa que fiz foi consultar um nutricionista para desintoxicar
completamente
meu organismo.
Assim, cuidando da limpeza mental e física, em seis meses consegui mostrar aos médicos o que eu já sabia: eu não apresentava mais nenhum tipo de câncer. Ainda guardo o resultado dos primeiros exames, que deram positivo, para me recordar o quanto pude
ser negativamente criativa.
Hoje, quando um cliente me procura, por mais terríveis que possam ser seus males, sei que, se ele estiver disposto a fazer o trabalho mental de modificar os velhos padrões e per­doar, praticamente qualquer mal pode ser curado. A palavra "incurável", tão assustadora para muitos, na verdade quer di­zer apenas que determinada doença não pode ser curada por métodos "externos" e que precisamos nos interiorizar para efe-tuar a cura. A "condição" anormal que aparentemente veio do nada voltará para o nada."


Autoria: Louise Hay

Imagem do Livro:
www.fnac.com.br/voce-pode-curar-sua-vida-4-co...



9 comentários:

Valdeir Almeida disse...

Adélia,

Essa é uma grande lição de vida. Me arrepiei.
Eu tinha conhecimento de que ressentimentos levam a doenças, mas não a doenças tão graves assim.

Diante disso, se você não fizesse essa limpeza mental, o tratamento físico não adiantaria,não é?

Como eu disse, é uma lição de vida.

Abraços e bom final de semana.

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Valdeir, essa lição de vida que Louise Hay, nos traz, evidencia o poder do padrão mental sobre nosso organismo. Abraço. Um maravilhoso fim de semana para você também!

Claudinha ੴ disse...

Olá Adélia!
O neurologista que me operou o cérebro disse que muito de minha cura e sobrevivência se deu ao meu padrão mental positivo, meu extremo bom humor e minha forma intensa de ver a vida. Achei exagero, mas hoje eu sei que foi muito importante. Conheço bem o que Louise diz e esla está certíssima! Bela ajuda está postando aqui! Beijos!

Jeanne disse...

Por isto a importância do Orai e vigiai do Cristo,
Orar para fortalecer a fé, e vigiar os pensamentos.
Beijos

Nilson Barcelli disse...

Fiquei a saber que não vou ter cancro, porque eu perdoo tudo...

Não acredito que a mente possa curar sempre. Mas há muito que bruxas e outros trapaceiros curam pessoas. Pela simples razão das pessoas acreditarem que vão ficar curadas.
Não dará para pena partida, mas funciona bem nas doenças do foro psicológico, como vc deve saber muito melhor que eu, já que a Adélia, sendo psicóloga, é quase bruxa... rs...

Querida Adélia, um beijo.

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Nilson, concordo contigo.A mente nem sempre vai poder curar o que, muitas vezes, ela própria produziu. Depende de inúmeros fatores, inclusive os que ainda desconhecemos. A mente pode produzir doenças, como bem a Medicina Psicossomática tem suas pesquisas muito bem demonstradas. Somos um ser integrado. Portanto descompensando um lado, descompensam-se os demais. Evidentemente que temos na área da Saúde, profissionais sérios, gabaritados, criteriosos, éticos, assim como não. O charlatanismo ocorre em larga escala, aproveitando-se das dores dos seres. Porém devemos, com critério, abrir o leque de alternativas em pesquisas, estudos do ser para melhor trazer alternativas que atendam suas necessidades. Há que se ponderar entre mente estreita, rígida e criticidade, profundidade nos estudos avançados que abarque o ser em sua totalidade. Só assim conseguiremos avançar adiante. Beijos,meu querido amigo.

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Claudinha Querida, o padrão mental, tem muita influência em nosso corpo. Altera o metabolismo, o nível hormonal, etc. Portanto, quanto melhor equilibrados estivermos, sem muita toxidade gerada pelo nível de pensamentos e emoções, melhor nosso organismo reagirá. Que bom, que em seu caso, houve uma resposta positiva equivalente à sua postura mental. Grata por sua contribuição ilustrando tal tema. Beijos.

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Jeanne Querida, bem lembrada esta frase que sintetiza muito do que é necessário para um equilíbrio interno. Beijos.

Adelia Ester Maame Zimeo disse...

Observação Importante: Apesar de contarmos com recursos internos e tentarmos obter o máximo, através de uma adequada postura mental, não descarta-se o tratamento médico, medicamentoso, cirúrgico, dentre outros. Não devemos ser extremistas para nenhum polo. O bom senso, a ponderação se fazem necessários. Não sermos materialistas cartesianos, nem seres que flutuam no ar sem fio condutor com a terra. Estes últimos, contam com ilusões, que trazem malefícios. Equilíbrio na balança relativamente ajustado é o ponto desejável.